7.4.08

Pagar

imagem: google
E da mesma autora da célebre frase “Vou chamuscar a patareca”, temos o seguinte: Ela – Tenho de ir tratar das minhas responsabilidades domésticas… Eu – Tadinha… O que tens tu para fazer? Ela – Nada. Vou pagar à minha empregada. Eu – Ahhhh! Que continues a ser a bela fonte de inspiração que és, minha Linda. Que continues!

9 comentários:

Anónimo disse...

in "diarioeconomico.com"

Morte a crédito
A primeira radiografia que se tirou em Portugal foi no Hospital de Coimbra há mais de 100 anos e não foi a uma pessoa, foi a uma sardinha. Conhecer este facto é ou não importante? A resposta é não, não é importante, embora seja um detalhe curioso.

André Macedo

Nos últimos meses temos andado todos um pouco nisto de separar o trigo do joio. Não por causa do aumento das matérias-primas, mas porque desde Agosto que procuramos uma resposta à pergunta: vai ou não haver recessão? Portugal será ou não afectado?
Para chegar à resposta, economista e analistas têm passado a pente fino todos os indicadores, procurando valorizar os números que contam e os que são fogo de vista. Todos os dias há novidades. Todas as semanas aparecem dados contraditórios. Resumindo, ainda não há fumo branco.

Não há fumo branco, mas o fumo negro está em todo o lado. Ontem a bolsa portuguesa quebrou a barreira negativa dos dez mil pontos, o que já não acontecia desde Setembro de 2006. Os últimos meses foram sempre a descer. E o plano inclinado ainda não ficará por aqui. Não se trata apenas de volatilidade. É mais do que isso. O risco é enorme, dispara em todas as direcções e afecta todas as actividades, todas empresas, todos os negócios. A banca lidera as perdas e provoca a maior desconfiança. É natural, a doença nasceu no sistema financeiro – nas hipotecas de alto risco – e as ondas de choque multiplicam-se, afectando todos os grandes bancos mundiais. O Bear Stearns, que em termos de activos era cinco vezes maior do que o BCP, afocinhou num par de dias e acabou ‘vendido’ por 150 milhões de euros. Para que conste, 150 milhões de euros não é nada. Em termos de capitalização bolsista, estamos a falar do campeonato da Sumolis. Quando um grande banco de investimento americano passa a valer o mesmo que uma empresa de sumos portuguesa então o melhor mesmo é beber para esquecer.

Portugal observa a crise de olhos arregalados. Os bancos nacionais financiam-se em grandes doses lá fora e como lá fora as torneiras já só pingam a custo, a conclusão é evidente: a factura terá consequências. Ou seja, crédito mais caro e de mais difícil acesso. Por enquanto, para as pequenas e médias empresas é ‘business as usual’, mas a tensão está no ar. Para os particulares, acabou-se o ‘spread ‘zero no crédito à habitação e foi-se o financiamento a 95 ou 100%. Os bancos cobrem os riscos, protegem-se, só emprestam cerca de 80% do valor de avaliação das casas. Nem sempre é assim, há excepções, mas a regra é cada vez mais esta. Ninguém quer dar um passo em falso, ninguém quer ficar com uma mão cheia de nada.

A desconfiança em excesso sufoca o mercado, embora também o ajude a curar-se das loucuras dos últimos anos. Cada americano tem em média cinco cartões de crédito. Em Portugal, há um por cada pessoa e meia. Na China, a média é de um para 33 carteiras. Três exemplos, três realidades. Mas é a economia americana, a maior do mundo, que marca o ritmo da orquestra. Na América, chegou-se ao ponto de os créditos à habitação serem vendidos pelos mediadores imobiliários, sem intervenção dos bancos. É como um vendedor de droga também emprestar dinheiro. Claro, o dois em um não resulta. Não é preciso radiografar uma sardinha para saber que ela tem espinhas.

Me disse...

Ok Sr. Anónimo... Isto não pode certamente ser referente à empregada das limpezas... Talvez uma espécie de explicação do processo que se tem vindo a passar com os compradores da minha casa?
Eles não têm direito a crédito habitação porque são estrangeiros... Foram alvo de um "Leasing à Habitação"... Novo conceito, mesmo cheiro.
Mas sim, as sardinhas, sacanas, estão cheias de espinhas. Pior só mesmo quem fica com uma ferrada na garganta (espinha, não sardinha).
Eu é mais bolos... sem espinhas, doces, fáceis de mastigar e fáceis de engolir. Yeps. Eu é mais bolos.

Vitor disse...

Então e este tempo?

Olha vou lá fora fumar um cigarro, apetece-me ter uma baixa por pneumonia!

Me disse...

Oh Vítaro... Não tens a sorte de trabalhar num sítio que mandou a legislação à fava, e no qual se pode confortávelmente fumar à secretária... enchendo o teclado de cinzas e os caixotes do lixo de beatas... Janelas abertas... tudo ventilado e como deve ser... Fantástico.
Com licença que acho que vou fazer o mesmo!
:)

Anónimo disse...

Muitos fumadores procuram buscar no cigarro, uma sensação de alívio da tensão, mas certo é que fumar, só traz grandes malefícios ao organismo humano, que irei descrever, já de seguida.
Existe estudos, que demonstram que o simples acto de fumar, regularmente poderá reduzir, a esperança média de vida, face às pessoas não-fumadoras.
No tabaco, está presente a nicotina, responsável pela dependência e habituação, provoca uma libertação de uma substância denominada de epinefrina, que em conjugação com outras, dará origem, a uma diminuição da capacidade dos vasos sanguíneos, transportarem sangue resultando no inerente aumento do número de "batidas" do coração, provocando um crescimento anormal do ritmo cardíaco e da pressão arterial.
Como se isto, não fosse, um grave mal para a saúde do ser humano, uma complexidade de outras enfermidades, surge por interecção com esta droga, assiste-se a um aumento considerável do tamanho das plaquetas sanguíneas, no nosso organismo, sendo responsáveis pela cicatrização das nossas feridas.
Mas, pela acção das substâncias nocivas presentes no tabaco, este mecanismo natural de cicatrização, transforma-se no foco de origem dos coágulos, que podem possívelmente obstruír a passagem de sangue, originando enfartes do miocárdio, dependendo no entanto do estado evolutivo da doença.
Também, estes fumadores, dependentes do "vício" ao longo de muito tempo poderão ser portadores de doenças crónicas, como a bronquite, para além de frequentes tosses diárias.
A prática de desportos por estas pessoas fica perigosamente afectada, pela diminuição da oxigenação dos seus pulmões, em relação a não fumadores.
O temível cancro do pulmão é um poderoso inimigo e aliado, podendo surgir a longo prazo, pela deposição de elevados teores de alcatrão nos pulmões.
Quêm está presente em "ambientes de fumo", mesmo não sendo fumador, estará em risco de contrair doenças respiratórias.
O coração, não escapa da acção maligna do tabaco, pelo que poderá aparecer uma doença chamada arteriosclerose, que se traduz, através de uma explicação sumária, em uma diminuição da capacidade das artérias transportarem sangue, pela acumulação de excessivas gorduras nas paredes dos vasos sanguíneos, podendo originar os referênciados, enfartes do miocárdio.
Mesmo na nossa dentição, poderá surgir doenças, como a gengivite que provoca o aparecimento de hemorragias e edemas, se evoluír na sua forma mais grave os dentes, poderão ter que ser extraídos, para debelar a inflamação.
As mulheres que fumem durante a sua gravidez, possuem maiores probabilidades, de terem um aborto ou de o bébé nascer com uma diminuição acentuada de peso, e até na idade escolar, os seus filhos poderão demonstrar dificuldades de aprendizagem.
Como fácilmente pode constatar, na leitura desta composição escrita e se é uma pessoa fumadora, o melhor para a sua saúde é mesmo deixar de fumar.
Muito embora, seja um "vício", difícil de deixar, pense nas quantas pessoas que têm cancro do pulmão, e no constante sofrimento que os seus entes queridos estarão a passar, na luta contra tão grave doença, com certeza por momentos, reflectirá sobre os malefícios do tabaco.

Anónimo disse...

Pneumonia são infecções que se instalam nos pulmões, órgãos duplos localizados um de cada lado da caixa torácica. Podem acometer a região dos alvéolos pulmonares onde desembocam as ramificações terminais dos brônquios e, às vezes, os interstícios (espaço entre um alvéolo e outro).

Basicamente, pneumonias são provocadas pela penetração de um agente infeccioso ou irritante (bactérias, vírus, fungos e por reações alérgicas) no espaço alveolar, onde ocorre a troca gasosa. Esse local deve estar sempre muito limpo, livre de substâncias que possam impedir o contacto do ar com o sangue. Diferentes do vírus da gripe, que é altamente infectante, os agentes infecciosos da pneumonia não costumam ser transmitidos facilmente.

Anónimo disse...

Finalmente, este blog tem informação útil!

Vitor disse...

Caro anónimo.

Já que falamos de infomação útil...

Deixa lá de fumar isso que andas a colocar na boca, ou então passa aí que a malta também quer "viajar"!

Me disse...

Ai os meninos!
Ok. Antes de mais, um blog que se chama "Outra Merda Qualquer" só podia ser liberal nessa coisa do fumar. É claro que o pessoal aqui se preocupa com a saúde... Mas... Vícios!
Agora, "Finalmente, este blog tem informação útil!" ?????
Oh espanto! Oh indignação!
Exijo pedido de desculpas pela ofensa à minha pessoa! Útil? Eu? Com um blog chamado o que se chama??? Nunca!
Mas pronto, Sr. Anónimo, aceito que se sinta preocupado com a saúde dos fumadores. É uma causa justa. Prontes.

Vítaro, tu porta-te bem! Viajens com este tempo? Nada disso. Olha que o vento que faz apagaria a ceninha num instante... e aí, não ia haver quantidade de "cuspo" suficiente para abrandar o arder da coisa
;)