21.4.08

“No entiendo!” – Parte I

imagem: google
Aqui a empresa onde trabalho tem a seguinte filosofia: Work Hard, Play Hard. Uma equipa relativamente pequena, só mulheres. Caredo! Pensarão alguns… Mas estão enganados. Apesar dos apesares, é assim que funciona bem. E há-de continuar a funcionar! De qualquer das formas, como reconhecimento de semanas e meses de trabalho árduo, fomos “enviadas” para Madrid. Saímos na sexta passada; voltámos ontem. 48 horas em Madrid. Play Hard à lá Espanhuela. E então lá fomos. Atrasadas para o avião… claro. Não podia deixar de ser. O avião atrasou, claro. Também não podia deixar de ser. Chegamos, a meio da tarde de sexta, deixamos as malas na casa que alugamos para ficarmos todas e lá fomos nós à descoberta… da zona comercial. Tendo por guias turísticas dois elementos da equipa já bastante experientes na temática Madrid (daí a escolha do sítio…), lá fomos todas, felizes e contentes por estar lá. A zona onde ficamos, na Calle Mayor, pertíssimo da Puerta del Sol, foi ideal. O centro histórico da cidade, agora com ruas sem trânsito (muitas obras…) ficava a uma excelente distância para se ir a pé (e os kms que fizemos! Tenho um pé negro de tanto andar!). Bem, chegamos e fomos direitinhas para a Plaza Colón, bem perto da zona comercial. Primeiro pensamento quando saímos da Calle Mayor e entramos na Calle Gran Via: Foda-se. Gosto mais disto do que de Lisboa.
Adorei o aspecto da cidade. O ambiente. Adorei. A ideia que tinha de Madrid estava errada. Nunca pensei que fosse tão majestosa, por assim dizer. Grande. Espaçosa. Organizada. Bonita. Mantida. Limpa. Tudo no devido sítio. Nem me vou meter para aqui com comparações em relação a Lisboa e outras cidades Europeias que conheço. Não vale a pena. Há escalas para tudo e Lisboa e Madrid não estão na mesma escala. Simples. O fim-de-semana correu muitíssimo bem. Pormenores virão em breve. Queria apenas deixar aqui um enorme Holá! às pessoas com quem estivemos em Madrid. Son de Puta Madre! ;)

2 comentários:

Vitor disse...

Estou ansioso pela parte da impotência!

Me disse...

Eh, pá. Atão não é que até houve um episódio que eventualmente pudesse ser categorizado por "impotência"? Ahhh pois houve.
:)
Me aguardem!