9.7.09

Desde que...

imagem: googleDesde que ninguém se queira comer, a malta desenvolve amizades facilmente.” (Não fui eu que disse, mas concordo em absoluto). Se alguma vez houve lista de verdades verdadeirinhas, esta afirmação deve constar das Top 3. Eu tenho a honra (claro exagero, obviamente, mas vá lá atão…) de ser reciprocamente infodível para um certo número de homens (e mulheres também, mas isso agora não interessa para nada), cuja amizade ou simples convivência prezo com elevado afinco. Ainda que se possa atribuir tal estatuto a uma clara incompatibilidade a nível feromonal ou a uma clara indisposição genética para o acasalamento, a verdade é que não havendo atracção, não havendo o mínimo de interesse noutros campos, abre-se todo um mundo de possibilidades e de hipóteses apenas passíveis de serem vividas por aqueles que se consideram mutuamente infodíveis, de entre as quais, a Amizade. Por muito simples que possa parecer o conceito, a sua prática não é nada fácil. Existem requisitos. Não pode apenas uma das partes considerar a outra infodível, não. Tem de ser recíproco, mútuo… etc. Só sem o peso que o interesse romântico coloca sobre dois indivíduos do sexo oposto (ou não) é que se pode sentir leve o suficiente para realmente se usufruir dessa pessoa. Também não se pode tratar a outra pessoa como se fosse membro do mesmo sexo ou género (a não ser quando se pode mesmo) porque isso seria anulá-las, apagá-las, desrespeitar a essência dessa pessoa. Coisa complicada… Tenho para mim que é mais difícil encontrar e conhecer alguém com a qual nem um beijo se daria sem que isso fira sentimentos ou susceptibilidades do que encontrar alguém com quem se possa partilhar o corpo e até a vida. Perdoamos e somos mais complacentes com quem gostamos ou amamos romanticamente do que com quem não acende nem um fósforozito quanto mais a labareda da paixão ou do amor a esse nível. Termos alguém infodível na nossa vida é podermos dizer coisas do tipo “Oh, pá… vai-te foder” sem que essa pessoa realmente pense que o estamos a mandar foder. É podermos dizer “É que és mesmo totó” e a pessoa não ficar amuada durante 3 dias. É ouvirmos coisas do tipo “’Tás a ser parva…” e conseguirmos perceber que sim. É dizermos, à frente de quem seja, “É meu amigo” e isso ser verdade. É sabermos que o termo também nos é aplicado mas não porque é o nome que se chama a alguém que se conheça “por aí”, mas porque há partilhas e confianças e espaços em comum que são limpos, arejados e, acima de tudo, bem arrumadinhos, sem o caos que por vezes enche a vida dos amorosamente envolvidos, que permitem o uso do termo sem necessidade de reticências. Nos amores, pode-se aprender a gostar, aprender a amar… aprender a estar com. Nas amizades, não. Ou é, ou não é. Não há meios-termos. Não há o cinzento. Há o preto e o branco. Não há dúvidas. Há certezas. E essas certezas defendem-se com um fervor impressionante, porque, ao contrário dos amores, sabemos que não haverá mais ninguém assim, que nos dê o que dá, que nos permita dar o que damos, que nos aceite e seja aceite da mesma forma. Eu tenho a honra de ser reciprocamente infodível para um certo número de homens, de entre os quais um que respeito e conheço de uma forma muito particular e que se destaca dos restantes por razões que agora também não interessam para nada, sendo para mim um verdadeiro prazer poder dizer “É meu amigo”.
Happy Birthday.

23 comentários:

K disse...

Olha que eu tenho amigos que não me se importavam de me saltar em cima e não é por isso que a amizade deixa de correr muito bem (e eu também não me importava de saltar em cima de alguns); mas, e concordando contigo, quando sinto que é mais que a luxúria física e que insistem subtilmente num outro tipo de aproximação a coisa fica mais que tremida e a amizade não desenvolve mesmo. Como tal, não me parece que o facto de se achar alguém fodível, seja um empecilho para uma amizade, desde que, obviamente, se saiba realmente o que se quer da pessoa e que se defina o que é mais importante; e para mim, indubitavelmente, é a pessoa como pessoa e o que posso partilhar com ela em termos de amizade. O que não significa que já não tenha cometido erros e fodido amizades que me eram importantes à conta de impulsos irreflectidos.

Me disse...

Mas se o pessoal for mutuamente infodível, fica tudo tão mais simples... tão mais claro... tão menos confuso... por muita "pica" que dê ser-se possivelmente fodível ou ter-se alguém assim, acho que quanto menos nevoeiro, melhor se vê.
concordo e não concordo contigo.
de todos os gajos que eu tenha achado fodíveis, nem a um chamava de amigo...

Oliveira da Serra disse...

Depois há os/as infodíveis, que o são, não só porque são amigos, mas porque seria mesmo, mesmo, mesmo impossível de acontecer por razões quase de ordem fisiológica, não é?
Beijocas do Norte.

Me disse...

Oliveirinha da Serra,
UI!!! Esses são os melhores!!!
Esses são dos que nos podem pegar pela mão para nos ajudarem a transpor uns carris sem haver o mínimo de desconforto... por exemplo! Remember? I do... :)
Ai que me vou calar antes que me dê batuque de saudade e me pire para o Porto ver como anda o pessoal a nível fisiológico... ;)
Oh, pá. Isso ou que tenha de fazer novo post para explicar certas coisas mais...
:)

Beijo-te.

Artur disse...

Eu li isto: "bla bla bla é o teu dia de anos bla bla bla deixa-te de merdas e come-me bla bla bla"
O teu prof faz anos, oh Me ?

Me disse...

Artur,
Acbaste de dar mais um presentinho ao Aniversariante...

:P

(e não, oh memória de elefante, o meu Prof. não faz anos e já nem é meu Prof!!!! AAARAGHAGARGAHGAR!!!)

O inconformado disse...

E as amizades... coloridas?!? hein? como se explicam essas? hmmmm? :D (e só para lançar um pouco a confusão no meio de tanto concenso...)

Se há coisa que eu já aprendi que não é possível racionalizar são as coisas do coração e da atracção física/intelectual. Existem diferentes patamares de "estar" com os outros e de variações de disposição física e amorosa que seria preciso uma tabela bem grande para os relacionar todos e "encaixotar" bem os conceitos e definições encontradas.

Mas, na generalidade é como a Me escreve. Verdadeiro amigo não tem sexo. Logo, ao retirar essa condicionante, fica-se livre para o resto, menos emocional e mais racional.

Depois existem as excepções, em que ALDs (amizades de longa duração) se transformam noutra coisa qualquer mais (amorosamente) complicada em que as pessoas envolvidas só se apercebem do "mal" feito depois da primeira queca.

Como dizia o outro somos tantos e tão diferentes uns dos outros que cada caso... é um caso (sério!).

O inconformado disse...

(este post é só para poder receber os mails. obrigado) :D

K disse...

Se o pessoal for mutuamente infodível ou se decidirem ser mutuamente infodíveis! Porque não pode haver essa decisão? Olha, a gente até se papava, mas acho que ganhamos mais em sermos amigos. É assim algo tão estranho?? Porra, eu devo ser de outro planeta ou ter uma excelente capacidade de relativizar as coisas e diminui-las!

Quanto à pica de que falas, a mim nem se aplica. Pelo menos em termos de amizades. Porque se existir ignoro.

PKB disse...

A próxima vez que quiser dar os Parabéns a um amigo infodível, faço referência a este texto! =))

Beijinhos!

V!tor disse...

Eu pessoalmente gosto de gente infodivel... é que parecendo que não as minhas atenções vão para além de uma única dimensão da personalidade e isso é muitissimo bom!
Agradável, vá!


(Obrigado)

O inconformado disse...

estar perto e conviver com gente infodível é como um GNR a passear dentro de um posto. Seguro e uma poupança de energia daquelas :D

Me disse...

Fonix! Isto de não ter tido net a tarde toda foi fodível!!!

Mas eis-me de volta... prontinha a responder.

Vams lá a isto.

Inconformado,
:) All good as usual!

Me disse...

Vitáro,
Para além das mamas, por exemplo?
:P

(welcome)

Me disse...

Inconformado,
Interessante comparação...
E mais não digo que eu não conheço nenhum posto da GNR
:P

Me disse...

PKB,
Oh minha linda, à vontade!!
:)

Me disse...

K,
Vale tudo. No teu mundo e no nosso...
;)

O inconformado disse...

Vamos lá simplificar a equação. Existem aquelas amizades:
- que se fodem com uma pinta daquelas
- que uma foda bem "amandada" até melhorava a coisa
- que não se quer foder porque fica melhor assim
- que até se fodiam se a outra pessoa estivesse na onda ou fizesse uma operação plástica de largo espectro
- que se fodiam por acidente numa noite mal bebida
- que até se poderiam foder se não existisse mais nada para fazer ou não existissem jogos do benfica agendados
- que se iam fodendo entre outras actividades extra-curriculares
- que se fodiam só em sonhos e nunca na vida real
- que só de pensar em se foder cria um grande mau estar e febres altas
- que não se fodiam nem que a outra pessoa pagasse
- que são demasiado importantes para se foder
- que nos fodem o juízo mas que perdoamos sempre
- que não passam mesmo de AMIZADES assexuadas

Fallen, The Countess disse...

Fodasse, faço minhas as tuas palavras gaja! Cada vez gosto mais de te ler! Pensas como eu... Gosto!

Irremediavelmente Inconformado disse...

helloooo!

:)

assunto muito interessante este.
deparo-me muitas vezes com estas duvidas pois a maioria das minhas amigas(e eu sou gajo te ter mais amizades com mulheres do que com homens)sao maioritariamente do nivel "fodiveis ate nao poder mais"(e nao sao escolhidas a dedo, por mais dificil q possa parecer)... embora o meu pensamento seja exactamente o contrario "ela nao é fudivel, eu vejo é mal pa crl" e esforço-me ao maximo para nao acontecer nada mais do que o que está escrito na legislação da amizade(amizade "descolorida",vá).

já fudi literalmente algumas amizades importantes que deixaram de existir... e por outro lado tenho amizades que se nao tivessem sido fudidas se calhar nao eram tao importantes como sao hoje... mas chega de divagar!

:)

beijinho

PKB disse...

=)) Obrigada!

Pluma(PrincesaVirtual) disse...

Não podia deixar de concordar com este teu post.

Partilho da mesma opinião ...com todos os pontos e virgulas!

:)

Me disse...

Oh eu no Allgarve a responder-vos!!
:)

Não tive net na quinta e na sexta passada... fim-de-semana foi de festa... Domingo de viagem... e hoje de banhos!!

Obrigada a todos pelos comentários. Assim que tiver uma noitinha de nada para fazer, volto para vos chatear a cabeça.
:)