20.5.09

Minh'alma está parva.

Ainda não me tinha dado ao trabalho de ir ver (ouvir) pelos meus próprios ouvidos. E agora que o fiz, só posso dizer que fiquei parva, mais do que o costume, com o que ouvi.

AQUI

Sra. Professora, A frustração, a pequenez de espírito, o vazio de alma e a demência da mente são elementos que com o devido acompanhamento médico podem ser suavizados, por vezes ao ponto de deixar o doente tão suave que nem uma palavra profere. Convenhamos que o mutismo seria, no seu caso, uma bênção para todos: para as crianças, para os pais das crianças, para os outros elementos da sua classe profissional e para cada homem e mulher neste país que, como eu, se sente verdadeiramente chocado e envergonhado com a absoluta falta de competência técnica e humana para fazer outra coisa que não ocupar-se de vegetar serenamente em quarto almofadado. Pegue, Sra. Professora, nos seus 12 anos de escola, mais 4 de universidade, mais 2 de estágios, mais 2 de pós-graduação e mais 1 de especialização e, com todo o cuidado deste mundo, enfie-os no cu. Caso necessite, conheço quem bem a poderá educar quanto a esta prática, sendo que até uns desenhos e uns manuais lhe fornecerão para poder estudar para o teste final. Você, minha Senhora, é o exemplo acabado e perfeito daquilo que perfaz os pesadelos dos pais e filhos deste país, daquilo que alimenta os piores pesadelos dos restantes professores que, devido a si, terão de se esforçar no dobro para provar que exemplos como o seu não devem ser generalizados, nem tomados como sendo repetíveis. Até à gravação do seu elegante e bem proferido discurso, a Sra. constituía mito urbano que atormentava todas as crianças que sabiam mais cedo ou mais tarde terem que ser alunos seus. Que voltem a dormir sossegadas e sem ânsias por saberem que não andará à solta num qualquer estabelecimento de ensino deste país (pelo menos assim o espero). Foi suspensa de suas actividades por quem de direito. Tardou, a decisão (culpa das novas tecnologias e do facto de nunca ninguém ter acreditado nas histórias que se contavam a seu respeito). Devia era ser suspensa de um chaparro pelo dedo grande do pé, após coberta de estrume de animais de quinta, sendo apenas alimentada com pedacinhos de pão podre e água estagnada. Enquanto pessoa, mulher, professora e ser humano, a Sra. constitui um autêntico erro da natureza. Lamenta-se apenas que também o aborto tenha demorado tanto tempo a chegar ao povo, tal como as novas tecnologias assim o demoraram. Passe bem.

13 comentários:

SS disse...

Sublinho e subscrevo.

LoUcUrAs_dOs_22 disse...

há lá com cada uma!!!!

tudo bem que é uma noticia escandalosa, mas os media, exageram, já vi a gravação algumas 5 vezes! puxa!!!!

beijinhos e mts LoUcUrAs

LORENZO MONSANTO disse...

E foi lindo como, já referido no blogue da Controversa Maresia - que se diga, aqueles anos de estudo todos lhe permitiram conhecer palavras como:

"fizestes"
"amiguíssimos" e
"metestes"

Esta situação é assustadora, mas por outro lado, um óptimo mote para a reflexão...
Muito se poderia dizer, mas...é como dizes Me, a minha alma ainda está parva...

s disse...

Eu como mãe, fiquei mesmo preocupada!
Claro que não vamos generalizar, continuam a existir excelentes professores!
Mas este é um caso em que eu concordo que o fim justificou os meios!!

E esperemos que a "Senhora Doutora" (que eu não tenho tantos estudos como ela e só tenho 1,65m) fique em casa por uns bons tempos!!

PKB disse...

Subscrevo em tudo! E diria mais:

Sra. Professora, aprenda também a falar português..."óvistes" e "amiguíssimos" ainda não fazem parte do nosso vocabulário, mesmo com acordo ortográfico! 12 anos de escola, 4 de faculdade, 2 de especialização e 1 de pós-gruaduação deviam ter-lhe dado tempo para aprender qualquer coisinha...

K disse...

Clap clap clap clap! Para ti, obviamente.

Eu aqui só me lembro de duas coisas: a gaja é mal-fodida e mal-amada. Mas também é o espelho daquela mania de superioridade tão portuguesa.

Bock disse...

Muito bem, foda-se!

Fallen, The Countess disse...

Kakakakakakakaka... Gaja, este é o melhor texto que li em resposta à anormalidade feita pelo extraterrestre «a mim, chamem-me Sra. Dra»! Amei!!!

Cantador de desgarradas disse...

Faço minhas as tuas palavras, ME...

Me disse...

SS,
:)

Loucuras dos 22,
Antes de mais, bem-vinda!
Tenho pena é que não se saibam de mais coisas deste tipo… Pelo menos não oficialmente porque de “mitos urbanos” todos nós sabemos (e passamos por eles).
Beijos louquinhos
:)

Lorenzo Monsanto,
Eu nem quis ir por aí porque… bolas, seria mesmo raspar o tacho. Tirando as calinadas no portagalêz, a senhora (coff, coff) providencia tanta matéria prima para comentar que isso até parece o menos…
Obrigada pela visita
:)

S,
‘Tá mal da tua parte… lá tens tu direito de criticar, do alto dos teus 165 cms, tal enormidade da educação??? MAU! Haja respeito!
Beijos, linda

PKB,
E ela lá andava preocupada com essas coisas… de certo que teria mais com que se preocupar durante tantos anos de escola e faculdade e o raio que o parta! Bolas, pá! Uma mulher que conhece tão bem a vida sexual dos humanos lá tem tempo para aprender a falar?? Ouvistes, PKB?? ‘Tivestes mal agora…
;)

K,
Pronto! Era mesmo isso que eu queria dizer mas assim dito por ti tem outro sabor…
;)
Mal fodida, mal amada, mal formada, mal parida, mal tudo. Um erro. Puro.

Bock,
Obrigada, foda-se!

Fallen, The Countess,
Não imaginas tu o que se me ficou aqui dentro por dizer… ristes-te com a coisa? Fizestes tu muito bem!
:)

Desgarrado,
Imitador.
:)

PKB disse...

Ópá... nã sejas assim! Nã sêjas má pra mim! :p)
Óvistes? Tu não sabes com quem te metestes, pá. hihiihi. E dizes bem... ela sabia da vida sexual DOS OUTROS! Acho que a dela era e é inexistente (à parte algum incidente com um bêbado que deu lugar a um filho que é "amiguíssimo" de todos os fodilhões lá da escola! eheheh)

Cantador de desgarradas disse...

Imitador, não!

Cantador, fáxavôr!

Me disse...

PKB,
Oh, mulheri, tu nã sêjas açim.
Lá há bebádos capazes de aguentar aquilo!!

Desgarrado,
Cantador?
DESGARRADO!!!