27.4.09

Tarde demais?

imagem: google
Eh, pá, foda-se. Tenho um problema. Há algo que não entendo. Vocês Homens são do caraças. Como se não bastasse o facto de uma Gaja ser Gaja, ainda tem de levar com as vossas cenas do que é ser-se (ou é suposto ser) Gaja. Expliquem-me porque é que todos reclamam o direito a fêmea independente e compreensiva quanto às vossas necessidades masculinas (em todos os campos) mas depois o que querem mesmo, mesmo, mesmo não é uma Gaja que seja independente, e vos “entenda” e que vos dê espaço, e que vos deixe andar, e que vos ouça e faça companhia e que goste dos amigos e que não vos peça merdas como se se tivesse direito a elas e que saiba qual o lugar e que não vos chateie a cabeça com cenas de gaja (‘Tás a pensar no quê? Gostas de mim? Porque é que me olhaste assim de lado se eu estou à tua frente? Achas que fico gorda com este vestido? Nunca me levas a sair… De quem era o telefonema? ‘Tás a mandar mensagens para quem? Blah, blah, blah!!!) e que se ria das vossas piadas e que entenda que estão cansados e que saiba quando e onde falar de certas coisas e que perceba à primeira que aquele assunto não é para tocar e que, basicamente, assim sendo, vos sirva tudo como deve ser como se tivesse feito encomenda especial, mas depois, quando deixados no vosso paraíso de “Gajo que tem Gaja Idealizada”, o que querem mesmo, mesmo, mesmo é uma menina de amuo em riste, de birra pronta a executar, de carências prontas a manifestar e de lamentações e queixas prontinhas a ferver??? Porquê!?!?!? Foda-se! E a culpa não é vossa, ainda por cima! Não! A culpa é nossa!!! Depois de anos e anos e anos a ouvirmos a vossas queixas sobre gajas-gajas, lá nos vamos transformando naquilo que vocês dão a entender ser o vosso “ideal”. Deixamos de fazer certas coisas porque isso são comportamentos de “namoradinha típica”… Deixamos de dizer certas coisas porque isso são coisas de “gaja”… Aprendemos a ser auto-suficientes em termos das tais ditas “manifestações de carinho” porque macho que é macho não precisa de andar constantemente a mostrar as emoções… Aprendemos que dizer “fofinho” e “queriduxo” e outras coisas afins é mal visto e poderá representar atentado contra a vossa masculinidade… Aprendemos a dizer asneiras e a mandar o pessoal para o caralho porque gaja que é gaja tem-nos no sítio e não precisa de gajo para a defender… aprendemos a não contar convosco para mudar a merda de uma lâmpada porque isso é sexista e apenas prova que afinal sempre precisamos de vocês (o regalo que é para vocês dizerem isso em relação à merda de uma lâmpada)… aprendemos a não contar convosco para coisas que, afinal de contas, podem e devem ser resolvidas entre amigas… aprendemos a separar coisas e a dividir tudo porque isto do contribuir tem de ser igual para todos… aprendemos a ser frias e distantes para que vocês não se sintam incomodados com a proximidade e intimidade… aprendemos uma data de merdas para vos fazer o obséquio para depois, pasmemo-nos, descobrir que vocês gostam das queixas! Vocês gostam que se faça assunto da cor da merda do vestido contra o tom de pele! Vocês gostam de ter que passar três horas a explicar a teoria do “meus amigos, teus amigos, nossos amigos”… vocês gostam que reclamem mais atenção! Vocês gostam que sejamos meninas-meninas porque só assim vocês se sentem Homens-Homens! Admitam-no! Sejam honestos! Vocês não querem a gaja independente que “apenas” precisa de vocês para coisas não materiais!!! Vocês gostam de ser necessários nesse campo! Vocês só se sentem realizados quando gaja lamenta que não sabe o que fazer para o jantar porque “tu nunca me dizes o que queres e eu já ando a ficar sem ideias… sniff… sniff!”, vocês gostam que vos chateiem a cabeça por deixarem a roupa no chão da casa de banho, vocês gostam que vos chateiem a cabeça por todas aquelas merdas sem jeito nenhum que nós estamos programadas para referir e que vos dão oportunidade de manifestar o vosso temperamento masculino de macho que é macho e não admite merdas da sua fêmea. Ahhhh barda shit para a merda dos papeis de género e o raio que o parta que andam todos engalfinhados e torcidos sem ninguém saber a qual pertence, de onde veio, para onde vai e o que fazer com o tempo que sobrar. Se gaja faz coisas de gaja, é porque quer alguma coisa em troca. Se gaja não as faz, é porque não precisa de Homem. Foda-se. Há uma diferença entre precisar de alguém e entre querer alguém por a pessoa ser quem é, e de se passar a precisar exactamente porque se quer. Não perceberam? Leiam outra vez. Assumamos, meus caros e caras, que nem há homens como antigamente e muito menos há mulheres como antigamente. Mas foda-se, as que ainda se vão safando melhor são as meninas-meninas que desatam num berreiro desenfreado se não recebem o beijo de bons dias e não as que entendem que não se vai acordar o Macho-Macho só por isso. Foda-se para esta merda!!! Vá-se lá perceber. (Não posso voltar a passar uma semana a dar formação na área da igualdade de género… não posso… se o efeito é este, foda-se, vou ali calçar um par de saltos altos, saia bem curtinha e passar os próximos 45 minutos a queixar-me ao Sr. Mr. Gajo que havia uma migalha no balcão da cozinha hoje de manhã e que por isso ele é insensível e pouco atento às minhas necessidades femininas para depois me queixar que faço tudo por ele sem pedir nada em troca e aproveitar ainda para perguntar se a merda da saia me faz um cu gordo ou não e já venho…).

50 comentários:

Gajo disse...

Foda-se! Tanto queixume.
Porque é que não passas a lidar com outros gajos, um bocadinho melhores? um bocadinho mais crescidos, sei lá.
Leio-te há algum tempo, mas gostas de baralhar as merdas.
Sê tu própria e que se foda.

Me disse...

Gajo,
Eu não digo!?!? Se uma gaja se queixa, há logo queixinhas em relação ao queixume!!! Se uma gaja não se queixa, é porque deve de andar com alguma na manga para depois disparar!!
E é claro que este meu problema é por causa dos homens com quem lido! É dos "Outros", esses machos mal amanhados que não o sabem ser!
Baralhar o quê? Mais ainda? Eu disse no texto que fico baralhada com esta merda toda mas vocês não ajudam!
E eu estou a ser eu própria! Se não fosse, não me queixava!!!

:P
;)
:D
e sei lá que mais smileys colocar aqui.

Gajo disse...

Mas porque carga de água é que tu achas (quer dizer, parece mesmo que tens a certeza)que a vida dos gajos deve ser mais fácil do que a tua?

Me disse...

Gajo,
Pronto!!!!
Lá vem o estereotipo clássico de os gajos acharem que as gajas acham a vida dos gajos é mais fácil, logo, motivo de inveja!! Nós, as gajas bem resolvidinhas (grupo no qual de vez em quando me vou incluindo), não sofremos dessa coisa do "penis envy"!! Isso é invenção vossa!
Ou tu pensas que se nós não soubessemos que hoje em dia é mais dificil ser-se homem do que ser-se mulher (sei perfeitamente o que disse) que eu teria dito metade das coisas que disse?
Ou tu achas que não é por sabermos que vocês andam meio perdidos que nós também o andamos???
Ou tu achas que é fácil ter que ser menina quando o Homem quer atenção, e ter que ser Mulher quando o menino aparece em cena?? Achas que não sabemos a diferença? Que não a gerimos???

Eu admito-a. Da minha e da vossa parte.
Todos temos papeis a desempenhar, mas foda-se, ao menos que hajam instruções.
E não puxes por mim que eu dou-te já meia duzia de exemplos que 'tou mortinha por dar...

Gata2000 disse...

E já agora, depois aproveita para lhe dizeres que te sentes sensivel, que precisas de mimo, e já agora uma quecazinha até te fazia bem às dores de cabeça e depois pede-lhe para ele te abrir a garrafa de água que a bem dizer é para estas coisas que eles servem!

Me disse...

Gata 2000,
:)

E se por acaso, no meio de toda esta minha sensibilidade eu for e abrir a garrafa sozinha, ainda me acusam de estar com o periodo, logo baralhada das ideias ao ponto de a minha sensibilidade não atingir as pontas dos dedos!
Ahhhh as quecas como remédio para dor de cabeça!!! Deve ser, deve!!! Se assim fosse, meus queridos, também o era para os dias em "estou tão cansado hoje, querida..."...
Ahhhh barda shit.

Entendemo-nos!!!

Gajo disse...

Caralhostafodam, pá.

Se procuras estereótipos é lá contigo.

Não é verdade, porém, que eu tenha dito que a vida dos gajos é mais difícil. Apenas disse que não era mais fácil.

Há uma diferença enorme na interpretação da coisa, sff.

Pelo contrário, acho estimulante a ausência de instruções.
Às vezes dava jeito, mas felizmente o manual vem com poucas páginas.

Cantador de desgarradas disse...

Qual é a crise?!

Ora esta! Nada misturas, gajo é gajo e gaja é gaja, mai'nada!

Não sei bem o que é que isto quer dizer, mas também não é importante.

E tu, Me, queixa-te do que quiseres e quando quiseres.

Eu faço o mesmo!

Me disse...

Gajo,
Yeah, yeah, yeah... é impossível fugir aos estereótipos. Impossível fugir a fazermos o que pensamos que devemos fazer, ser, ter... whatever etc coiso e tal.

Que isto anda tudo baralhado das ideias, anda.
E porra, pá. tenho de concordar contigo em relação ao livro de instruções... é muito melhor assim... mas!!! não consigo dizer isto sem colocar aqui um mas!!

Desgarrado,
Crises de identidade pelos vistos.
Ehhh... eu bem sabia que não devia ter deixado aqui texto tão pouco pensado e tão sentido.
Tenho mesmo de parar de dar formação... ando a criar monstros... em mim e nos outros e outras...
Queixemo-nos!!!

Cantador de desgarradas disse...

Queixemo-nos e oremus...

Temos agora um santo novo e tudo, a quem orar!

Ajoelha!.

E nada de coisas confusas, para confusão já basta o trânsito na baixa lisboeta em dia de passeio.

Me, que nunca te doam as mãos por escreveres e nunca, mas nunca, te arrependas do que escreves.
Mai'nada!

Me disse...

Desgarrado,
Quem é o novo santo???? Cusca lá comigo, vá...

E não, não me arrependo
:)

Gajo disse...

Olha, concordaste comigo. Boa!

Não és burra nenhuma, e não é por teres concordado.

um beijo.

tchau

Me disse...

Gajo,
Eh, pá, foda-se!!!

E pronto!!! Lá está a menina em mim toda luzidia e feliz por estar contente por não me acharem burra e isso não ter nada a ver com ter concordado!!! Chiça punico merda de genes, oh caraças!!!

Ahhh obrigada, pá.
Porra.
Um beijo para ti também, pronto.
Ahhh que se lixe. Dois beijos, pronto!

(não é costume concordar contigo, Gajo? passo a vida a concordar com um gajo ou outro... tu, como representante dos ditos cujos, devias saber... aquela coisa da feminista-anti-feminista-radical...)

:)

(tankiu)

Cem disse...

acaso não faltará um ME antes do "venho" para acabar melhor o texto?

;)

Cantador de desgarradas disse...

S. Nuno Álvares Pereira.

Novinho em folha!

Mesmo bom para ajoelhar (hoje deu-me para aqui, paciência!)

Me disse...

Minha Linda Cem!!!!
:)

Eu (ME) faço falta a muita gente e em muito sítio...

;)
hihihihihihihihihi!!!

Desgarrado,
Oremos então que se Santo é, assim será tratado.
Amí-amá-amú!!!

Random Disease disse...

Acho que esse não é um problema apenas da 'gaja' ou do 'gajo', mas sim um factor inerente à nossa própria natureza. Se temos azul, queremos vermelho. Se temos vermelho, queremos verde. A eterna insatisfação humana.

Parabéns pelo blog, já está nos favoritos.

yensung disse...

"Mas foda-se, as que ainda se vão safando melhor são as meninas-meninas que desatam num berreiro desenfreado se não recebem o beijo de bons dias"

O que é que tu entendes por "safar"?...

É que assim como assim,concordo que todos - nós e eles - temos tendência a cair em estereótipos, sejam os incutidos sejam os aprendidos e refinados, mas bolas, isso é mera fuga a querer esforçar os neurónios, ver com os olhos e sentir com o coração! Para além de que seguir a manada não destoa...

Além do mais, acho que há formas mais eficazes e menos estridentes de se dar a entender aquilo que se quer. De parte a parte. Mas isso sou eu que venho de outro planeta e percebo muito pouco de poucas coisas...

Tenho dito, moça Me!

(tás fixe??)

Me disse...

Random Disease,
Olá! Welcome e obrigada pelo comentário!
É claro que não é apenas problema de gaja… é de todos. E tal como eu disse há uns dias, a “culpa” desta merda toda é das gajas que, em 1900 e troca o passo, lá decidiram que podiam sair de casa e “fazer vida”. Quem nos mandou sair de casa, huh? Quem nos mandou ganhar a mania que havia mundo para além daquele que nos era permitido pelos homens?
Nós não soubemos lidar com esta coisa. Tanto faz que toda a cena da Igualdade é dirigida aos Homens (e na transformação, adaptação, mudança dos seus comportamentos, atitudes e actos), dentro da lógica de terem sido sempre eles que “mandaram”, numa de defender os direitos de quem depois não sabe usufruir deles como deve ser. Daí os falhanços de muitas políticas e orientações, daí o colapso e total gozo de muitos ideais defendidos por as “lutadores” da coisa.
Igualdade não é tentarmos ser iguais aos Homens… Não é termos, sermos ou fazermos o mesmo que eles. É sermos nós, dentro daquilo que sabemos, podemos e conseguimos ser, ser haver discriminação por se ser Mulher, Homem, Preto, Amarelo, Rosa, Grande, Pequeno, Gordo, Baixo, etc. Igualdade de Oportunidades… E não. Nunca estamos satisfeitos porque toda esta merda foi transformada numa batalha campal, numa guerra, numa competição desenfreada para ver quem consegue mais com menos.
A minha posição em relação a este assunto é confusa, sei-o. Necessitava de uma semana de posts bem escritos e fundamentados para poder bem explicar o porquê de pensar assim. Não tenho hipótese…
Mas deixo-vos um exemplo… Quando se chama um homem, tipicamente com aspecto de Homem Másculo (grande de tamanho, alto, bem constituído, de ar rude… estereótipo típico), para exemplificar exactamente quais são as ideias pré-concebidas que temos em relação a alguém com aquele aspecto e esse Homem vai fazer queixa por se ter sentido ofendido na sua masculinidade por ter uma “Miúda” a apontar-lhe essas características, está tudo perdido. Já nem se pode chamar Homem-Homem aos Homens que ficam logo ofendidos como se isso fosse algo de muito incorrecto. Tal como não se pode fazer isso em relação às Mulheres. As “melhores” mulheres são as que são descritas com adjectivos tipicamente atribuídos ao sexo masculino… Pensa lá… É verdade. Nem mesmo aí conseguimos fazer isto como deve ser. Andamo-nos a transformar numa cambada de assexuados frustrados, regidos por leis e regulamentações e acórdãos e o raio que o parta que defendem um teoria xpto mas que depois, pimba, dão o dito por não dito e fica tudo na mesma.
E lamento, mas ninguém anda a saber lidar com esta merda. Nem nós, que já nem sabemos se é socialmente aceitável termos gosto em fazermos certas coisas “tipicamente femininas” (há muita honra na cara de uma mulher que diz: “Cozinhar? Eu? Mal sei ferver água!!! Hahehahehaheha!! Ele que aprenda e é se quiser que eu não estou para isso!!” mas que se esquece que durante anos e anos foi a Mamã quem lhe colocou as refeições na mesa para ela crescer e poder dizer, à boca cheia, que fugiu a esse estereótipo, que não é nada parecida com a Mamã – de quem se tem sempre uma fobia enorme – e que se sente muito feliz com isso), nem vocês que já não sabem se é socialmente aceite fazerem coisas tipicamente masculinas.
Vai longa a resposta… peço desculpa. Mas a minha manifesta e declarada e admitida falta de compreensão em relação a esta questão obriga-me a isto. Eu entendo as coisas, apenas não compreendo é o resultado de tudo isto porque o sinto na pele todos os dias.
Obrigada pela visita, Random. Com ou sem Disease.
:)

Vitor disse...

A melhor forma de se entender uma "gaja" (como tu lhe chamas) é não tentar escutar o que ela tem para dizer, já a melhor maneira de conviver, são 5.000 km de distância!

Me disse...

Oh minha Ostrada,
Hello! (Tudo ok… e tu, ‘miga?)
Formas menos estridentes??? Hehahehaheha!! Podes crer…
O que quis eu dizer com o safam-se melhor? Eu explico! (ou vou tentar, pelo menos...)
O que eu quis dizer com aquilo é mais ou menos o seguinte: as gajas que se safam melhor são as que não colocam em causa, que não ameaçam, que não fazem espécie àquilo que é tido como o “ego masculino”. Para isso, não se pode ser, ter, fazer algo que possa eventualmente ser visto ou interpretado como sendo do “domínio” deles. É claro que tudo depende do estado do tal ego masculino, se está mais ou menos activo, intacto, whatever, mas, no geral, se o mesmo for protegido através de comportamentos femininos (típicos) que contrastam com os masculinos (típicos), a coisa corre melhor.
Queres exemplos? Dou-tos (com as devidas ressalvas pelo contexto e intervenientes, obviamente).
Eu, singela Me, meto medo aos Gajos. E por coisas estúpidas. Porque tenho um carro tipicamente masculino que ameaça os gajos (é vê-los a olharem-me de lado na estrada, a fazerem-me desafios nos semáforos… a desprezarem-me… a acusarem-me de querer ser Homem… por causa da merda de um carro), por ter uma linguagem frontal e directa que retira o bullshit aos assuntos e que não é tipicamente feminina (és uma mulher às direitas! Sempre de resposta pronta! Assim é que é! One of the boys!), por saber tomar as minhas próprias decisões sem precisar, para certos e determinados assuntos, de infiltrações masculinas para decidir uma coisa que é única e exclusivamente para mim (e mulher assim lá precisa de homem? Faz tudo sozinha, né? Oh esta maravilhosa inversão de papéis), porque conduzo demasiado rápido (conduzes como um homem… andas mais rápido e melhor que a maioria… isso não nos deixa bem vistos… é impossível fazer uma viagem contigo sem nos sentirmos mal…), porque não entro naqueles círculos de gajas-namoradinhas que passam a noite a lamentarem-se dos respectivos enquanto morrem de inveja de eles estarem, no outro lado do bar, a divertirem-se e a fazerem de conta que não sabem que estão a ser mordidos a torto e direito (gaja que é gaja fala mal e queixa-se do seu Homem… faz parte… tem de ser… tem de haver forma de provar que gaja que é gaja é melhor que o seu Homem, apontando-lhe os defeitos, de modo a que ela se sinta bem e melhor com o que é, não é ou quer ser e não consegue… e os homens fazem o mesmo mas noutro tom…), porque não uso roupa tipicamente feminina (não é por usares sempre calças que és tu quem as veste… deves ter a mania que és homem… e isto vindo de homens E mulheres…). Etc, etc, etc. São exemplos meus. São coisas que já me disseram, fizeram, aconteceram. É o que me “ajuda” a ter a opinião que tenho hoje sobre este assunto. Cada um terá a sua.
É claro que nesta coisa toda, cada um é como cada qual e não há nada melhor que as pessoas encontrarem as suas próprias plataformas de entendimento. Mas, por baixo das mesmas, há centenas de anos de “programação” que não podemos negar, apenas “combater” onde e quando necessário.
E prontes. Era mais ou menos isto…

Me disse...

Vitáro!
OH!!!
Não será essa a melhor forma de te entender a ti e de se conviver contigo???

Técnico de Som alô, 1, 2, 3 Ahn. Ahn. disse...

Tch.
Muito se escreve por aqui.
Deviam dar-te um microfone, para que a tua voz se oiça melhor, mais alto e mais longe.

:)

Me disse...

Técnico de Som alô, 1, 2, 3 Ahn. Ahn (merda prós nicks complicados!!!)
Isso é tua forma simpática de dizeres que devia escrever menos???? ;)
E eu andei a dar voz a estas ideias durante uns dias! Fizeram queixa de mim!!!! Foda-se!
Vá-se lá perceber.
“Desde o início da sessão, há 1 hora, falou mal dos homens 15 vezes”, disse-me um formando que estava a registar a coisa.
“Falar mal dos Homens!?!? Ela tem falado muito pior das Mulheres! Coitadinhos dos Homens! PFFFFF!!!”, respondeu formanda.
Ahhh pois é. Já nem “falar mal” se pode (e eu não falei mal… dei exemplos e pedi explicações… a verdade custa, dói comós cornos… olhamo-nos de outra forma quando passamos a perceber que somos exactamente iguais àquilo que “combatemos”… é uma merda).

Mas traz daí o micro (ai que me vou arrepender de dizer isto…) que eu dou uma voltinha…
:)

s disse...

Mete tudo cá para fora Me!
Eu já à muito que deixei de tentar compreender os homens, principalmente porque como gaja tem dias que nem eu me compreendo a mim mesma!!
A solução é deixar andar!
Bahhh

Me disse...

S,
Minha linda... solução que não é bem solução...
É penso rápido daqueles coloridos e com bonecos que tapa o dói-dói... fica giro, esconde, mas não cura.
Mas sim, BAHHHHHHHH!!!!!

:)

Maria disse...

Olá Me, querida madrinha!
Se tentarmos compreender... complicamos. Acredito que somos iguais apesar do género ser diferente. Atribuiram-nos papeis sociais, regras morais, religiosas e por ai fora... que dão no: é Masculino; é Feminino. Estereótipos. Não somos máquinas! Somos pessoas, com feitios e vivências diferentes.

Kiss

Cantador de desgarradas disse...

Não podem fazer menos barulho com os altófalantes?
É que o almoço foi de leitão, porra!

Não se pode descansar, é? Vai a OPA a caminho, não tarda nada.

E já me estou a passar...

Cantador de desgarradas disse...

Me, tu és madrinha?

Confessa-te, já...

Gajo disse...

Boa tarde, Me.

Não tinhas de agradecer, miúda gira.

Vou passando para te ler.
Não deixes que te chateiem.

Me disse...

Maria,
É claro que temos vivências diferentes… e uma das diferenças entre as vivências de todos é as mesmas serem vividas enquanto homem ou enquanto mulher. É inegável… Os papéis não foram atribuídos… foram criados e vividos (não houve quem os decretasse). Abraçados. Agradecidos até porque finalmente havia ordem na coisa… E agora que os papeis andam meio confusos, reina a desordem.
Tentar compreender, abrir os olhos para… estar alertos… vermos as coisas… é meio caminho andado para podermos viver mais sossegaditos… Penso eu de que.
Beijos Tulipados
:)

Desgarrado,
SHHHHHH!!!!! Tu também!
E não, não me confesso que isso é prática ritualista representativa de uma época tutelada pelos princípios Católico-Cristãos dos quais eu não partilho.
(Ela disse que eu sou Madrinha… porque hei-de eu de não acreditar????)

Boa Tarde, Gajo
Miúda gira??? Mau!!! TU CONHECES-ME!?!?!?!
;)
Oh… eu não deixo que me chateiem… Consigo fazer isso sozinha
:)

Anónimo disse...

tu dizes "foda-se" muitas vezes. só me apeteceu constatar isso.

de resto, não sei que te diga... isso passa quando um dia arranjares um gajo como eu, mas menos convencido, ora foda-se!

rp

Me disse...

rp,
essa de aqui a Je dizer foda-se muitas vezes já é matéria revista... até já houve altura em que se contavam os foda-se todos bem contadinhos...

Quando arranjar um gajo como tu?
:)
Ora, foda-se... Já podias ter dito! Ando eu aqui com duvidas existenciais a torto e direito e a solução é, afinal, tão fácil...
ehhhh!!
:P

Lizard King disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lizard King disse...

Este assunto é como o do ovo e da galinha...andamos sempre à volta:(

Os homens queixam-se e lamentam-se da flor de estufa, dependente e frágil que tem a seu lado, não supotam a choradeira, melguice e dramatismo e idealizam e gabam as mulheres autonomas, independentes e bem resolvidas...desde que não seja a sua legitima...e porquê a contradição????


Ora pois bem, porque são pura e simplesmente um atentado à sua masculinidade, isto porque pedir a um gajo para mudar a lampada da entrada dá direito a preencher requerimento e como todos sabem só se obtem resposta ao fim de 90 dias e correndo o risco do pedido ser indeferido. Gaja boazinha espera e lamenta-se que o gajo nunca faz nada do que ela pede, é sempre a mesma coisa mas se fosse para a vizinha ia logo armado em tecnico e la em casa é sempre mais do mesmo..blá blá blá blá

Gaja resolvida: agarra o escadote e muda a lampada, no caso de não conseguir que a peça alvo de intervenção volte ao formato original, chama vizinho simpatico que se desfaz em delicadezas e vem na hora e isto em ultimo caso, porque senão tenta-se até à perfeição :P

Quando gajo chega nem deu pela lampada estar fundida.

Para mim isto é ser assertivo, racional e prático no discurso e acção, para eles é ameaça à "raça" e coisas de "homens" :/

Olha nem sei mas pela experiência passada vou tirar uma formação, seguida de workshop sobre " Aprenda a ser menina frágil, inutil, com muita queixinha, lágrima fácil e atestado de incompetencia em coisas tão estupidas que até metem raiva" :D

Beijos Me

yensung disse...

Ia, ia, ia, mas safam-se melhor porquê? Porque arranjam mais gajos? What's the point? São os melhores - ou algum que (lhes) valha a pena - que elas sacam?

Não sei... duvido muito... sabes que conheço também esse tipo de gaiatas, mas sinceramente duvido que sejam muito mais felizes que eu. E olha que tu sabes que eu atiro assim um bocadinho para o depressivo!

Enfim, opiniões! :))

PS: e para quando uma race na vasco da gama, hein? ;)

Assaltante de blogs disse...

Tenho mesmo de assaltar o blog e fazer aqui uma plantação de haxixe...

Ai tenho, tenho...

Fallen, The Countess disse...

Kakakakakakaka... É duro pah, eu sei... Eles é que são duma frescura impressionante... Raio de especie mais ranhosa que nos havia de calhar como companhia...Acho que há coisa de 2 anitos dei une petite palestra sobre isso num outro blog, dá uma vistinha de olhos na conclusão. Beijinhos

http://fodivel.blogspot.com/2007/05/no-cabresto.html

Me disse...

Lizard,
Olé!! Clap!! Clap!! Clap!!!!!
Ouve lá… quando abrir o curso, inscreve-me também que ando a precisar de uma reciclagem…
Como é que dizia a outra?
Abaixo a independência feminina!! Voltemos à cozinha!!! Voltemos à mesada!!! Voltemos a depender dos Homens!! Eles que se preocupem enquanto nós vamos a mais uma manicure e visitamos o ginásio pela 4ª vez na semana!!!!
;)
Falando a sério… na medida do possível, claro.
As Mulheres que têm um cadito mais de “estaleca” são sempre os mexilhões da vida. São invejadas pelas mulheres que não conseguem o mesmo que elas e são apetecidas pelos homens que têm o oposto em casa. Mas é temporário… Quando Homem percebe que afinal Mulher não precisa dele para, por exemplo, mudar um pneu porque até sabe pegar na merda do telemóvel e ligar para a assistência em viagem (não é para isso que serve?????), atira com um “Ligavas-me que eu ia-te ajudar” mas sem a mínima intenção de o fazer…
A culpa é da merda das histórias de Princesas presas nas torres e dos Príncipes a cavalo que chegam para salvar o dia.
Nós podemos não precisar ser salvas, mas eles têm de se sentir Príncipes Salvadores… Cavalo branco a relinchar e tudo.
Inscreve-me!!!!!
Beijos, Lizard (Queen!!!)

Me disse...

Yensung,
Não, pá. Tem nada a ver com ter ou não mais gajos… Safam-se melhor na medida em que não andam sempre às turras com o ofendido do ego masculino… Safam-se porque é por essas que os gajos não saem de casa (o que será dela, coitada, sem mim?), por exemplo.
As mais ariscas, essas? Ui! Pode-se largar à vontade que essas não são damas em “distress”… essas aguentam-se bem à bronca… Mais fácil. Nem mossa faz!!
Quanto mais indefesa, frágil e afins, mais os homens se sentem necessários porque têm de ser o oposto: corajosos e fortes…
Também não tem nada a ver com felicidade… essa é pessoal e intransmissível…
Tem a ver com a quantidade de chatices e de merdas que se têm de viver, ultrapassar, gerir, etc. Mais por aí…

Vasco da Gama??? :) Se vieres, podes ser a que deixa cair o lenço para dar início à corrida… ;)
Beijos ostrados.

Me disse...

Assaltante,
Se me viesses propor plantação de malmequeres que são bem mais giros e cheirosos… agora haxixe?? Sou alérgica… Não dá. Been there! Done that!! Didn’t like it!!!

Me disse...

Fallen, The Countess,
Li o post… :)
Comentário ao dito daria novo post aqui no estamine… Digo apenas que aquela coisa do “Quanto mais me bates, mais eu gosto de ti” é bem verdade em certas situações… Os jurares de “dessa água nunca mais beberei” são treta. A miséria gosta de companhia e, por vezes, um ego ferido só encontra consolo junto de quem o feriu… tipo “tu deves-me”… Coisas da vida. Tenho-as visto vezes sem conta…
“Um Homem sem cornos é como um jardim sem flores”… É triste que haja homens que provem que isto é verdade… É triste que haja mulheres que vivam sabendo que isto é verdade, confiando que eles até, pelos vistos, gostam da coisa… Ai, ‘miga… isto daria todo um post cheio de foda-se e afins…
:)

K disse...

Oohohohohohohohohohohoohohohohoh! Lindo mulher! E tao verdade!!

Eu nao mudei por causa deles. Se sai daquele tipico papel de gaja-gaja é por o ter achado demasiado futil e sem sentido. E porque acho que sou mais mulher assim. Mas eles, eles gostam mesmo é das gajas-gajas. Como tal fica muito dificil encontrar um gajo decente e que nao faça de gajo-gajo...ou seja, nao ha grande coisa no mercado!!! ahahahahahah


Baci mille amore mio. Desculpa a falta de acentos mas tamos na italia. luv iu!!

Assaltante de blogs disse...

Bora lá brincar aos plantadores de malmequeres, Me...

Posso fazer de semente, eu?

Toze disse...

Sabes que mais Me. Precisas de um Gajo como eu, essa é que é essa... ah pois :)

E por hoje ter sido lembrado pela Cem que é o dia do sorriso, aqui te deixo o meu...com um piscar de olho ;)

Me disse...

K,
GRRRRRRRRRRRRRRRRRR!!!!!!!!!!!!!!!!!

nem te respondo. Fica lá na Itália atão. fica!!! quero lá saber!! fico aqui sozinha a morder-me de inveja, pronto...

BLAHHHH!!!!

Assaltante,
Oh-oh... isso lá é assalto que se faça, bolas.
FECUNDADOR!!!!

Tozé,
Já és o segundo a dizer isso...
Oh eu com opções...
;)

Bom dia dos sorrisos!!!

-----

Amanhã, minha gente, estarei de férias... sexta? feriado... sabado e domingo... o normal.
Por isso, beijos a todos e todas... excepto ao Vitáro (esse leva chutos para não ser tótó).
Inté ao nosso regresso!!!

Bom quase fim-de-semena, minha gente. Bom quase fim-de-semana.

Assaltante de blogs disse...

Claro que é coisa que se faça.

Lá e cá...

PKB disse...

Eu logo te leio com mais calma.. ando cansadíssima e estou em estágio porque faço anos no sábado... estou a preparar-me para um sete em frente ao 3!!! Ó valha-me caredo! Perdoa-me, sim? Estou com as minhas capacidades mentais diminuídas and all that shit!
Beijinhos!

Cantador de desgarradas disse...

73 anos é obra!
Posso levar um pão de ló e ir à festa?

Me disse...

Olá meus lindinhos e lindinhas!!!
Vamos lá começar bem a semana então.

Assaltante… cá, lá, por aqui e por aí… por além e por acolá… Onde calhar!
:)

Passaroca,
Happy Birthday, Woman!!!
:)
Muitos, muitos parabéns, linda. Que Sábado tenha sido fantástico
:)

Desgarrado,
Ora aí está um belo auto-convite… :)
Traga mas é um para cá e não se fala mais nisso…