21.8.08

Voltar

imagem: google
Inspirando-me AQUI, eu concordo, adiro e defendo este movimento! Também eu quero voltar a outro tempo. - Quero voltar à idade em que ganhar um jogo de berlindes nos tornava os maiores da escola - Quero voltar a acreditar que se nos portarmos bem e comermos todos os vegetais, então o futuro será risonho e cheio de coisas boas - Quero voltar ao tempo em que fazer anos era um acontecimento merecedor de presentes e beijos e abraços e felicitações e mimo - Quero voltar a ter a sensação que os grandes, os adultos, sabiam tudo e nunca deixariam que nada de mal nos acontecesse - Quero voltar ao tempo em que todo o grupo de amigas se reunia em torno de um coração partido, jurando vingança e eterna dor ao causador do mesmo - Quero voltar ao tempo em que ter dinheiro para pastilhas e gelados era mais importante do que termos o cabelo penteado e a t-shirt lavada - Quero voltar ao tempo em que se chegava a casa e se ia directamente para o sofá ver televisão não era ofensa a ninguém - Quero voltar ao tempo em que um “Gosto de ti” valia o mundo, valia voarmos, de coração acelerado e feliz durante dias e dias e dias e dias… - Quero voltar ao tempo em que haviam bruxas, Pai Natal e o Coelho da Páscoa - Quero voltar ao tempo em que ser capaz de beber um copo cheio de coca-cola sem pararmos por termos a garganta a arder era prova de coragem - Quero voltar ao tempo em que ir lanchar a casa de uma amiga era prova inequívoca de que iríamos ser amigas para sempre - Quero voltar ao tempo em pintar sem sair das linhas era um acontecimento - Quero que o “sempre” volte a ser “sempre” e não apenas “até quando for” - Quero voltar ao tempo em que saltar a vedação do quintal para ir brincar com os vizinhos sem avisarmos os nossos pais era uma avaria capaz de nos castigar com uma semana sem televisão - Quero voltar ao tempo em que um joelho esfolado era evento para reunir toda a família em torno do dito cujo por ser uma lesão gravíssima - Quero voltar ao tempo em que as palavras nos reconfortavam - Quero voltar ao tempo em que o futuro éramos nós quem decidia, em que o que queríamos estava tão presente e tão definido que parecia anedótico não conseguirmos - Quero voltar ao tempo em que um beijo selava tudo; valia tudo; significava tudo - Quero voltar ao tempo em que ter uma colecção de cromos maior era importantíssimo - Quero voltar ao tempo em que ter uma BMX valia mais do que ter hoje um BMW
- Quero voltar ao tempo em que se pensava que o emprego que iríamos ter nos iria tornar ricos - Quero voltar ao tempo em que fazermos um postal, desenhado à mão e todo torto, para o aniversário dos nossos pais era um presente “daqueles” - Voltar ao tempo em que um penso rápido resolvia todas as dores e maleitas possíveis - Quero voltar ao tempo em que se escolhiam os nomes dos filhos por nascer porque “uma pessoa tinha de pensar nessas coisas com tempo” - Quero voltar ao tempo em que um andar de mãos dadas era um compromisso sério de futuro - Quero voltar ao tempo em que se chorava e no dia seguinte já tudo estava melhor - Quero voltar ao tempo em que as músicas e canções da nossa vida eram cantadas por homens de lycra com cabelos longos e maquilhagem na cara - Voltar ao tempo em que saber fazer um cavalinho com a bicicleta era um feito extraordinário - Voltar ao tempo em havia amores de verão e depois havia os outros… os sérios… - Voltar ao tempo em que tínhamos a certeza do que queríamos ser quando fossemos grandes - Voltar ao tempo em que dizer “ele é tão giro” era sinal que estávamos irremediavelmente apaixonadas - Voltar ao tempo em que comer uma sandoca para o almoço era suficiente porque havia coisas mais importantes para fazer com aquele tempo - Voltar a sentir segurança num simples olhar da nossa mãe - Voltar ao tempo em que não fazer o que o pai mandava era uma sentença de quase morte - Voltar ao tempo em que dizer mal da fulana xpto era sinal de que pertencíamos ao grupo fixe - Voltar ao tempo em que a idade contava, em que “ser mais velho do que tu” contava para alguma coisa - Quero voltar ao tempo em que enroscar-me no colo da minha mãe era normal e não por necessidade - Quero voltar ao tempo em que sussurrar um “amo-te” necessitava de semanas de cuidada tomada de decisão e horas de reunião de coragem Quero voltar a ser Pequena, deixar de me sentir pequena. Quero ver os Grandes como Grandes e não apenas como sendo maiores que eu. Quero voltar a ter a minha mente limpa e pronta a aceitar o que vier, sem a pressão de termos que saber o que queremos. Quero voltar a ter o meu coração limpo e cheio de coisas para dar sem ter que receber de volta. Quero voltar a poder dizer “Eu sei” e saber mesmo. Quero voltar a ser Pequena, sem me sentir pequena.

4 comentários:

Flávio disse...

Uau.
Definitivamente, melhor que o texto no meu blog.
Eu apenas traduzi do original.
Tu sentiste o conceito. E muito bem.

Me disse...

Olá Flávio,
Digamos que estou para aí virada.

Mas adorei a ideia. Entregar os papeis e pimba... rescindir o contrato e mais nada.

Quem me dera. Nem que fosse apenas uns dias todos os meses... tipo férias como deve ser de tudo.

Devo dizer que gosto bastante do teu blog. É "cosy" mas não sei bem porquê... Enfim.

Fica bem e obrigada pela visita
:)

Pedro disse...

ohpa olha adorei. simplesmente adorei, n tenho palavras... :P

mais uma page adicionada aos FAVs :D

continua assim.

beijocas

Me disse...

Olá Pedro,
Só posso dizer,oh pa, olha, obrigada ;)

Mais uma nos favoritos... Por acaso sabes a responsabilidade que isso é? E se eu nunca mais repetir a façanha? É uma chatice!!!

Vamos ver se continuo assim. Aposto que sou capaz de MUITO pior!!!

Muito obrigada pela visita e pelo comentário tão capaz-dos-nos-deixar-bem-dispostos
:)