24.7.08

Mi boue, mas mi bolta

imagem: google
Após longa ausência por motivos profissionais inteiramente não da minha responsabilidade (hehahehaheha!!), eis que me devolvo a este meu espacinho para dizer que… me vou. De férias. Merecidas e bem merecidas. Talvez agora tenha mais tempo para me dedicar a este trabalho. A partir da próxima segunda-feira… olá praia, olá sol, olá noitadas, olá peixe queimado no grelhador e areia no bikini, olá picadas de melgas, olá protector solar e toalha de praia cheia de sal, olá sestas depois de almoço, olá passeios nocturnos para esmoer jantaradas, olá filas no supermercado, olá pezinhos permanentemente cheios de areia, olá pêlos encravados, olá passeios na praia e mergulhos nas ondas… Olá a todos. Acho que nunca desejei tanto umas férias como este ano. Nunca. Não por querer fugir ou desaparecer ou não ir trabalhar, etc. Não. Nunca desejei tanto umas férias porque, acima de tudo, ando mesmo estafada. Mesmo cansadita. Digamos que o meu ordenado tem andado mais que bem justificado (o que me deixa mais que feliz e mais que contente)… logo, as férias, esse período de tempo em que não somos, vamos sendo, também são mais que bem justificadas. Este ano, ao contrário de alguns outros, as férias não vão ser o cumprimento de um direito legal, mas sim o usufruto de um bem precioso. Para mim, esta é a altura ideal para fazer balanços. Aquela cena do final de ano para mim não conta. Há demasiada continuidade. Nesta altura, não. Há uma quebra que nos permite respirar melhor e ver melhor o que foi e o que será (mesmo que esta reflexão possa ser violentamente interrompida por umas sestas na praia…). O último ano foi, digamos, algo “pesado”. Entre stresses daqui e dali, entre coisas a correrem menos bem e outras a correrem muito mal, penso que o que de mais importante aconteceu foi eu ter crescido. Em muitos sentidos. Pode parecer estranho dizer isto com esta idade (ok, não é muita, muita mas…) ou estar para aqui a dizer isto sequer, mas sinto que, acima de tudo, cresci. Fui coisas que nunca pensei ser (boas e más); fiz coisas que nunca pensei fazer (boas e más) e tive coisas que nunca pensei ter (boas e más). Aconteceram coisas que nunca pensei acontecer (boas e más); não aconteceram coisas que tinha a certeza irem acontecer (boas e más). Foi, de facto, um ano muito importante e marcante para mim a todos os níveis. Todos mesmo. Por isso, venha daí a areia no bikini e o sol nos olhos. Este ano, e pela primeira vez assim mesmo a sério, eu vou curtir esta porra das férias até cair para o lado. Ai vou! Até breve e beijos para todos.

1 comentário:

O Santo disse...

A minha mama sempre me disse que a vida de uma pessoa dá muitas voltas, o que hoje e verdade amanhã é mentira e o que tens por garantido hoje amanhã pode ter escapado...

Live sucks...

Tal como dizes, espero que tenhas aprendido e crescido com cada situação. Certamente nem tudo foi mau e se calhar novas portas se abriram enquanto outras se fecharam...

Não pretendas viver o presente no passado, o que te ofereceu somente te fez mais forte para o futuro...

Não tenhas medo de voltar a acreditar somente porque te magoaste no passado, isso é um erro... acredita e não tenhas medo de nada...