7.1.11

Precisa-se.


imagem: google


Diz o Bagaço Amarelo que o Amor se quer sujo.
Eu concordo e apoio. Concordo e apoio mas explico a minha perspectiva, claro, que isto do “sujo” pode suscitar muito tipo de interpretação (especialmente por aqui…).
Amor. Sujo.
Amor daquele que nos faz dobrar em dois de antecipação, que nos faz salivar. Que nos faz sonhar sonhos daqueles gritados e suados e tremidos. Que nos faz dizer as palavras “amo-te” ao ritmo dos batimentos do coração (a – tun-tun – mo – tun-tun – te – tun-tun…).
É tudo muito bom e tudo muito bem, mas não é com falinhas mansas que o pessoal chega lá.
É preciso que haja um certo indecoro, uma certa má educação, uma certa falta de pudor.
É preciso mostrar o nosso lado mais básico e primitivo. É preciso deixar que o sentimento que nos consome as entranhas se mostre através delas, num caos desconexo, ardente, desorganizado, tumultuoso… doloroso, até.
É preciso querer ser comido e fodido por aquela pessoa, por “oposição” a fazer amor com ela (isso vem depois…). É preciso, no meio de uma sala cheia de gente, dizer “Fodia-te. Aqui e agora. Fodia-te”.
É preciso haver raiva contra aquela pessoa por ela nos fazer querer ser possuídos até ao tutano, raiva por ela nos fazer querer possuí-la até cegarmos. Raiva e rancor daqueles que fazem do chão de uma cozinha o mais perfeito e ideal dos locais para se comer…
É preciso haver palavras rudes e brutas, cruas e nuas que dizem logo no imediato o que se quer e deseja. É preciso resvalar o confrangimento e a contenção para o desaparecimento.
É preciso saber qual o som dos gemidos mais profundos da pessoa, o sabor da sua pele suada, a força das suas mãos quando nos agarram, a intensidade da sua respiração quando lhe beijamos o pescoço, mordemos a orelha.
É preciso saber ao que soa um “não pares” aflito e suplicante. É preciso saber qual o toque da sua língua em todo o nosso corpo.
É preciso roçar o limiar da dor, o limiar do incómodo, o quase deixar marca permanente.
É preciso saber ao que soam gritos e palavras rasgadas por bocas sedentas. É preciso saber com que cor luzem olhos inchados e semi-fechados de prazer.
É preciso saber qual a dor de uma mordida dada por tanto se querer. É preciso saber o que é sentir dedos a entrarem-nos pela boca a dentro, procurando a nossa língua, e calando-nos assim do grito que viria fazer companhia à dor anterior.
É preciso saber o que é ficar-se com o cheiro daquela pessoa pelo corpo, com o sabor dela entranhado na boca. É preciso saber-lhe o cheiro e o sabor de cor.
É preciso querer inspirar e lamber aquele corpo, mesmo sabendo-o não totalmente próprio para tal. É preciso abocanhar e lamber e sugar, sem medo de nada. É preciso saber o que é ter aquele corpo a deslizar pelo nosso, num frenético chinfrim de suor e saliva.
É preciso saber como a pessoa se vem, como geme quando se vem, como treme, como sustem ou não a respiração, de que forma se lhe abre a boca e fecham os olhos. É preciso saber de que maneiras diferentes se vem. É preciso saber e perceber as diferenças entre a força explosiva de certos orgasmos e a doçura dilacerante de outros.
E é preciso que a outra pessoa saiba o mesmo sobre nós.
O Amor, daquele que dói e faz doer, ou seja, o único que vale a pena, tem de ser visceral, para além da carne, para além da partilha. Tem de nos fazer ferver o sangue, perder os sentidos, ganhar nova vida. Tem de nos fazer sofrer com o desejo de querer sentir de novo aquelas mãos, de sentir de novo aquele sabor, aquela boca a respirar ofegante no nosso corpo.
O Amor quer se queira, quer não, quer-se sujo, desbocado, barulhento, rufia, mal-cheiroso, e, de vez em quando, armado em parvo com tudo e todos, fodido com tudo e todos.
E nada, mas nada, faz tão bem à vida do amor do que duas pessoas saberem estas coisas todas uma da outra e amarem-se por e para isso. De entre todas as outras razões que possam ter para se amarem, terem estas.
E aí sim, ama-se, diz-se Amo-te de boca e peito cheio e sabe-se exactamente o porquê de o dizermos e sentirmos.
Sujo. Definitivamente.

70 comentários:

Anónimo disse...

Bem...

Muito bem.

Nem sei o que diga, à excepção de me queixar do conforto do chão da cozinha. Não ajuda nada. Mas que é bom, lá isso, é, seja onde for.

Bom...

Nem sei o que diga.

É melhor nem dizer nada.

Bom 2011, Memé.

chOURIÇO

Me disse...

Oh, chÓRAS,
És muito eloquente no teu "não dizer nada"...

Obrigada pela falta de palavras.
:)

Um excelente ano de 2011 para ti também, chÓRA.

Alforreca disse...

Pois que com um texto destes é impossível uma pessoa passar por aqui e não comentar, que merda pá. Assim não consigo manter o meu low profile.

Bem...e depois de ler este texto decidi que nunca mais vou escrever na minha vida...brutal!

EGOISTE disse...

Me,

Estou completamente abismado com a tua faceta "carnal". A tal que começou com as trombadas e broches, e passou pelo amor carnal, e vai continuar nem quero imaginar por onde.

Já sei que me vais dizer que é tudo teoria. Eu digo: "ONDE É QUE TU ANDAS? APARECE AQUI! DEIXA-ME FAZER COM QUE TE APAIXONES POR MIM!"

De qualquer forma, defendo a parte exageradamente carnal em qualquer relação de amor.

;)

Me disse...

Alforreca,
O que eu não faço para te tirar do teu covil!
Tu escreves??? Onde??? Diz lá! Também te quero poder ler!

E só posso, prostrada em vénia, agradecer comentário, mesmo que feito contrariado nessa coisa de manter o low profile.
:))))

Me disse...

Egoiste,
Resistindo eu o ímpeto de gargalhar, só te posso agradecer palavras tão ... explícitas. É preciso coragem!
:P

Qualquer dia, assim como quem não quer a coisa, deixo aqui um post "à menina" e depois quero ver se ainda queres fazer com que me apaixone por ti... seja lá onde estiveres.

:PPPPPP

Me disse...

E, já agora, oh Egoiste, abismado porquê?
Por ter, como dizes, faceta carnal?
Ou por dizer as coisas desta maneira?
Explique-se!

EGOISTE disse...

Vamos lá,

Não percebi bem quais eram as palavras explícitas. Se as relativas às formas dos actos sexuais ou sobre a minha súbita vontade de que te apaixones por mim.

A primeira, peguei em coisas tuas. A segunda, e como já te disse, quem sabe isso tudo e ainda por cima assume, ainda que diga que seja só teoria, tem de ter um vulcão dentro de si.
E como a malta gosta de vulcões à maneira, apenas tentei dar o toquezinho... Para ver se funcionava. Não funcionou!?!?!? :(


Fiquei abismado por defenderes tudo isso que tens defendido, e ao mesmo tempo dizeres que é só teoria.

A faceta animalesca todos temos. É óbvio. Mas também acredito que nem sempre a conseguimos mostrar.

De qualquer forma, e pelo teu tipo de escrita, sempre te pensei mais romantica, com velas e incensos, flores e música clássica, dama de cama e de lençóis e não de chão de cozinha, mulher de elevado controlo.
(agora não necessitas de conter a gargalhada)

PS: MAs tu sabes que metade do que eu digo é para me meter contido...

:)

Me disse...

Egoiste,
E não contive!!
Acho que ninguém tem essa imagem de mim. Nem mesmo por aqui onde, por vezes, as coisas ficam um pouco mais sensíveis, digamos.
(as palavras explícitas eram em relação a tudo o que disseste, incluindo essa tua pseudo vontade).
Vulcões, huh? Não, não funcionou. Nem seria por aí que funcionaria! :P

E desde quando é que as coisas têm de ser mutuamente exclusivas? Isso do romantismo e a carne?
Não se pode ser romântico e carinhoso e afins e depois dar aso a trancadas no chão da cozinha?
Para mim, até acho que uma coisa ajuda a outra - nem tanto ao mar nem tanto à terra. Há que haver uma mistura de tudo, um equilíbrio de tudo. E nada faz com que um jantar romântico corra melhor do que saber que a dor que se tem nas costas não foi por andar a acartar caixotes...

Egoiste... essa coisa da teoria também pode ser só teoria, já pensaste? Pensaste pois!
Agora, tens de suavizar essa coisa de tentares inferir umas por outras...
Se gosto de incenso e música clássica ou se gosto de chões de cozinha... isso é algo que não vais conseguir saber por aqui.
Mas podes ir tentando. 3 anos e tal de blog... devo estar aqui escarrapachadinha, admito.
Mas isto não é nenhum confessionário... Ou talvez seja... Tem dias... Ou não.

PS: Também sabes que metade do que te digo é exactamente por saber que te estás a meter comigo... O que, bem vistas as coisas, me dá uma enorme vantagem.
:)

K disse...

Credo mulher! Este texto é impróprio para cardíacos! Ou pelo menos para pessoas que pensam e desejam exactamente o mesmo. Pois que percebo porque mo mandaste ler. É isto sim. Ai porra que estou afogueada e me falta o ar!

Anónimo disse...

Depois disto tudo «chões» é giro.

É um plural engraçadito, até...

:PPPPPP

chOURIÇO

Anónimo disse...

Olha, põe lá aí a vírgula que faltou, ó sachavôr.

chOURIÇO

Me disse...

chÓRAS.
Looooooooolol!!! Eu sabia que ias apanhar essa.
Andei à briga com a merda do corrector e tudo. Não houve consenso.
Não havendo consenso, e muito menos, senso, ganhou a preguiça de alterar a frase.

Cala-te, pá! Eu sei!!!! Eu sei!!!

:PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Me disse...

(por acaso há uma no poste que também está em falta e já tentei ir corrigir mas o blogger hoje não lhe apetece...)

Corrige, tu, as, próprias, vírgulas, pá,.

Me disse...

K,
Respira, mulher. Respira.
:D

(It's to set you in the mood!)
:P

K disse...

Ahahahahahhahah! És tramada mulher! ;)

Me disse...

You know it!!!
;)

Não te esqueças de ir respirando... é o melhor que fazes.
:D

K disse...

Sim meu amor. Descansa. Hoje sinto-me no poder. ;)

Me disse...

You have the POWER!!
You are WOMAN!!!
YOU ARE STRONG!!!!!!!!!

(hahahahahahahahahah!!!!)

K disse...

Epá, não dá para pôr gosto na tua resposta! ;p ahahahahhahahah

Me disse...

Se desse, punhas "ADORO"!!!
:)))

(caredo se colocasse aqui aquele sistema de gostar ou não dos comentários e afins... UI!!!)

AUFDERMAUR disse...

Parabéns pelo post!
Está fabuloso e inspirador!

Me disse...

Olá, Aufdermaur,
Welcome!

Tankiú!

O Tarado disse...

Tou com tusa.

Merda para isto... queria ver se tinha um fim de semana sugadito...

Espera um pouco porque quem escreve assim não é gago mas é preciso ler várias vezes :)

Tou com tusa. Merda.

Me disse...

Tarado,
Ou és muito sensível, ou eu escrevo muita bem...
(já sei, já sei... de qualquer das formas, 'tás com a dita no cujo... já sei...)

:)

Samuel A. disse...

Conheço muita gente que é assim radical... na boca e em blogues é vê-los por aí aos magotes...

Vim cá para picar...

Me disse...

Samuel, A.,
Vieste? Só para picar?
:)

Então, espero que também saibas ser picado!
;)

EGOISTE disse...

Espera lá... Eu posso muito bem ter essa imagem de ti. E certamente não serei o único. A distância faz destas coisas. Ficamos agarrados às impressões que temos.

Temos de ir tentando... Nem que seja para eliminar alternativas.

Já viste o que conseguiste com o post!?!?!?

Mas no meio da complementaridade todos temos uma tendência no que ao carnal diz respeito. Há pessoas que só conseguem com agressividade, e outras com calma e carinho.

PS: Dá-te enorme vantagem sim. Mas não sabes o mais importante: Qual é a parte séria e qual a parte provocatória.

De qualquer forma, minha proposta está de pé.

Anónimo disse...

Muito bom ME, muito bom!!

Ai o chão da cozinha...

(e não digo mais nada que me fizeste lembrar de algo que não queria e que não posso voltar a lembrar!)

CC

Me disse...

Egoiste,
Fico surpreendida, sinceramente, que se tenha (especialmente por aqui) essa imagem de mim: que sou florzinha de estufa. Não sou.
Tanto sou 8 como 80. Gosto de pensar que tenho um saudável equilíbrio e que sei responder ao momento, preferindo muitos e diferentes do que sempre a mesma masmorra do "habitual". Eu não sou sempre a mesma; não tenho de viver sempre o mesmo (e em relação a isto, retira as ilações que quiseres...).
O que é que eu consegui com este post? Levantar algumas sobrancelhas... Mostrar que isso das certezas é terreno escorregadio? Mostrar que deixarmos espaço para a dúvida é bom?
Ou mostrar que, por aqui, nem tudo é o que parece? Escolhe tu.

Em relação à minha suposta vantagem, idem, idem, aspas, aspas.
Nem tu :)

Quanto à tua proposta... Vou ter que humildemente declinar. Se há coisa que não se pede a ninguém e que se apaixone por nós. Mas isso é outro post por completo...

Boa continuação nessa tua tarefa de decifrar o quase indecifrável
:P

Me disse...

CC,
Não sejas assim.
As memórias são sempre boas de se ter. Já viste se não a tivesses?
;)

EGOISTE disse...

És um pouco... Às vezes és um pouco...

Falando por mim, deu para ver que claramente tens um vulcão dentro de ti.

O que eu tinha pedido era para dares uma hipótese de, não te pedi o apaixonamento...
Hipóteses acho que se podem pedir.

Não estou a decifrar nada. Tu sabes.

(F)

Me disse...

Antes de responder ao resto...
Sou um pouco quê, Egoiste?

EGOISTE disse...

Copinho de cristal.
Mas só às vezes...

Me disse...

Hmmm...
Sabes que um copinho de cristal tanto leva champanhe como cerveja, certo?

EGOISTE disse...

Guardo para mim o que acho que tens dentro!!!

Me disse...

Boa!
Assim não tenho de discutir contigo e tirar-te algumas ilusões!!!
:PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

EGOISTE disse...

Que frieza...

Me disse...

Huh?!
Surpreendido?

EGOISTE disse...

Nada. Até já estava a estranhar tão carinhosa que estavas...

Me disse...

Eu sou não fria! Nem uso nada dessa coisa da frieza!

E EU SOU CARINHOSA, FODA-SE!!! AI, SOU!!!!!

Anónimo disse...

Que conversa apimbalhada que grassa por aqui.

E se elas querem um abraço ou um beijinho...
E se elas querem muito amor, muito carinho...

Citando uma outra caixa de comentos de um outro beloque:

Isto não é um berloque de engate.

Enfim...

Que choradeira e que violinos que se tocam nestes comentos.

É um despautério.

chOURIÇO

Me disse...

chÓRINHAS,
Podes crer.
Mas, ao menos por aqui a coisa é feita a toque de convite... de educação (mais ou menos, vá...).
:P

O que eles não sabem, mas eu te digo a ti, é que eu sou inengatável. Já me deixei disso há muito tempo...

EGOISTE disse...

Estás muito confusa relativamente ao carinho vs frieza...

Mas lá no fundo acredito para onde pendes.

Me disse...

Egoiste, Egoiste, Egoiste...
Se há coisas que não me baralham ou deixam confusa, são essas.

Acreditas para onde pendo? Conta!!

EGOISTE disse...

Não és tu que estás confusa. Ou pelo menos não foi isso que eu disse.

Os teus ditos é que são contraditórios.

Acho que és mesmo um coração de manteiga.

Anónimo disse...

Espalha teu cóóóóóóração de manteigaaaaaaaaaa
Pela pontinha do meu biscoitooooooo

E continua a música.

chOURIÇO

Maria disse...

Eu venho aqui todos os dias. E desde dia 7, que olho para o título, olho para a foto, leio o primeiro parágrafo e penso:

ok, depois vou colar este texto no Word e aumentar a letra, que isto é coisa para ter de ler muito bem.

Voilá. Foi agora.

E de amor...sujo,limpo, cor de rosa, preto e branco, às riscas, bolas? Não sei.

Mas a tua escrita pareceu um, um...tornado. é isso! Começa como aquela cena do saco que voa no filme Beleza Americana e zás, num piscar de olhos estás no Jornal da Noite, como o Tornado que atravessou os concelhos de Tomar, Ferreira do Zêzere e Sertã.

Caranguejo. Lua cheia, quarto minguante, lua nova, quarto crescente.

Eu de amor não sei. MAS o amor não se quer (só) sujo, o amor quere-se (ainda) depois disto que escreveste. Que me parece a paixão.

Me disse...

Egoiste,
Disseste, disseste...
"Estás muito confusa relativamente ao carinho vs frieza..."
E desde quando é que me contradigo?
Nada disso...
Se olhares bem, não me contradigo em nada.
Não é por escrever textos sobre o mar azul e as andorinhas que cantam que depois não sei escrever sobre CHÃO (toma lá, oh chÓRAS) de cozinhas e afins...
Parece-me que tu preferias algo com menos surpresas... algo que se aguentasse melhor sob determinado rótulo... Sob determinada ideia (total e completamente criada por ti, claro, com base no que vou aqui deixando, 'tá certo, mas, mesmo assim, demasiado pobre em informações fidedignas para poder ser devidamente fundamentada...).
Cá para mim já te "arrependeste" da proposta e até já a tiraste da mesa... Cá para mim, só vês é manteiga espalhada pelo CHÃO... cá para mim...

Me disse...

chÓRINHAS,
Ciumento.

Me disse...

Maria,
Eu, Carangueija, me acuso... ainda que recuse certas e determinadas influências devido a tal facto... :)

E concordo contigo, tal como disse no texto, o amor quer-se sob muitas formas, sob muitas cores... Mas, tem de haver um cadito disto lá pelo meio também. Não é bem só paixão... ou pode até ser uma das suas variantes. Tem de ter, a meu ver, uma componente de quase roubo. Roubarmos e sermos roubados.
E sim, amor daquele mesmo a sério, vem depois ou até mesmo durante estas coisas todas.
É como disse, de entre as coisas que nos fazem amar e que nos fazem ser amados, estão estas. Entre muitas, muitas, muitas outras, estão estas.

E a ver se começas a ler mais cedo os textos para depois os comentares mais cedo para depois não ser o descalabro que por aqui se vê! HUMPF!

(E foda-se, mulher, nem sei como agradecer essa coisa do tornado. Porra, que me deixas totó de todo! Obrigada.)

EGOISTE disse...

Só agora é que reparei no "inengatável"... Que eles é que não sabem!?!?!?

Tu estás a limitar a nossa liberdade de expressão. Aqui ninguém está a ter o direito de dizer aquilo que pensa. De certeza que não vieste do tempo da inquisição...?

Achas mesmo que eu prefiro estabilidade e constância, em vez de surpresas? Passeio de barco em vez de montanha russa?

Anónimo disse...

Porra, que este gajo não se cala...

chOURIÇO

Me disse...

Egoiste,
A pessoa à qual eu dirigi tal comentário percebeu exactamente o que eu estava a dizer. E, em relação a esse assunto, é tudo quanto há a dizer.
Quanto à liberdade de expressão... Por vezes até penso que a há em demasia. Mas isso sou eu que tenho a mania que não é por ter tasco aberto e de participação livre de todos, que tenha eu de ser alvo de Inquisições à "intiga". Manias minhas.

Quanto às tuas preferências... Sinceramente? É-me igual. Não te conheço, não me conheces, nem tenho nada que opinar seja o que for em relação a ti. O que mostras aqui, de certo, representará mais um quadro à Picasso do que uma fotografia.

E prontes. Era mais ou menos isso.

Me disse...

chÓRINHAS,
Do alto dos teus 57 anos... psht!

EGOISTE disse...

Finalmente fechado...

Anónimo disse...

Cala a matraca, pá!

chOURIÇO

Me disse...

Egoiste,
Mas se era isso que querias, porque não disseste logo? Ias directo à questão, poupavas-te a uma série de esforços e a coisa passava.
Eu, quando quero e me convém, sou muita bem mandada!!

Me disse...

chÓRINHAS,
Tu queres mesmo é apanhar, né?

Rapunzel disse...

Assino em baixo!

Me disse...

Olá, Rapunzel.
Welcome!

Assina!! Assina!!!

Rapunzel disse...

Thank you!

Onde? Onde?

Me disse...

Hahahahaha!
Aqui, vá.
Assina aqui.

('Tou a pensar criar umas t-shirts OMQ com uns dizeres fixe... também posso iniciar um abaixo assinado... e olha que por uma causa destas... era bem pensado!)

Rapunzel disse...

Tens o meu voto! :P

Assinado: Rapunzela

Me disse...

(Oh eu no teu estaminé armada em cusca...
Gostaste deste texto? Recebeste a mensagem?
Então... Tens repto.)

Quanto ao voto... não me digas isso que ainda me candidato a qualquer coisa e depois era uma chatice!!

Rapunzel disse...

(eu estou a fazer o mesmo... gostei. recebi. o desafio não é para mim!)

Tens o meu apoio! Logo eu que adoro eleições, política e coisas afins, mas o meu voto é teu! :P

Me disse...

(o desafio? hmmm... acho que não estamos a falar da mesma coisa...
A mensagem era a mensagem geral do texto... comentei o teu estaminé... o repto está no comentário.

Bolas que agora baralhaste-me!! Não devemos estar a falar da mesma coisa...)

Rapunzel disse...

Ahhh é q eu li 1º este comentário e so dps o que deixaste lá no mundo desencantado (não dos brinquedos)...

Não te querendo (em)baralhar, acho que já tá esclarecido! :D

Me disse...

UFA!
Mas é que fiquei mesmo embaralhada!
Ok... pode não ser difícil, mas bolas... Tenham pena de Me, né?!
:)

Rapunzel disse...

Até já quase que fiz campanha eleitoral! ahahahahah