26.11.10

Facílimo.


imagem: google



Difícil:
adj. 2 gén.
1. Não fácil.
2. Custoso; complicado; espinhoso.
3. Arriscado.
4. Exigente.
5. Mau.
6. Pouco provável.
(Priberam)

Ao que parece, há por aí uma qualquer moda de os Homens dizerem que as Mulheres são difíceis. Ou seja, não são fáceis, são custosas, complicadas, espinhosas, arriscadas, exigentes, más e pouco prováveis.  Não serão todos os Homens, nem todas as Mulheres, mas, ao que parece, há cada vez mais Homens a dizer que há cada vez mais Mulheres difíceis.
Resistindo eu a tentação de proferir comentários jocosos e, quiçá, repletos de sarcasmo quanto a esta questão, vou, ao invés, explicar, ou tentar explicar, o porquê de vocês tão rápida e facilmente utilizarem esta singela palavrinha aquando de referência a certas Mulheres.
Mas antes, temos de esclarecer em que campo se joga o jogo do difícil.
Sexo.
É no campo do sexo e seus derivados que se joga este joguinho que, por admissão própria, os Homens parecem andar a perder.
As Mulheres só são difíceis, e corrijam-me se estiver errada, quando não vão para a cama (banco de trás de um carro/carrinha/autocarro, beco escuro, prédio abandonado, banco de jardim, etc.) com um homem quando e como ele quer que ela vá para a cama (banco de trás de um carro/carrinha/autocarro, beco escuro, prédio abandonado, banco de jardim, etc.) com ele.
Mas isto não é, como poderia parecer à primeira vista ou para os mais incautos, tão simples como endereçar convite… não. Há todo um processo devidamente estudado e, por vezes, treinado, que os Homens executam de modo a poderem angariar evidências em como determinada Mulher é, para além de toda a dúvida, difícil. Na prática, isto significa que as Mulheres podem ser rotuladas de difíceis caso não correspondam a um olhar, a um sorriso, a um olá, a um toque no ombro, a um pedido de número de telemóvel… blah, blah, blah… mensagem, chamada, convite para ir tomar café, jantar fora, ir ao cinema… e por aí fora. Ou seja, qualquer falta de cumprimento e colaboração durante o (suposto) estudado e/ou treinado processo de sedução poderá conceder a determinada Mulher o título de Difícil.
Ora, se virmos isto do prisma de quem tem de decidir aceitar ou negar as tais estudadas e, quiçá, treinadas investidas, atrevo-me a dizer que o caso muda de figura.
Aqui, e ali (e além também, claro), o termo a empregar passa a ser o tão ambicionado Fácil.

Fácil:
adj. 2 gén.
1. Que não custa a fazer.
2. Que se consegue sem grande trabalho.
3. Claro.
4. Simples, natural.
5. Provável.
6. Brando, dócil.
7. Acessível.
8. Precipitado, que reflecte! pouco.
9. Complacente.
10. Muito susceptível!.
(Priberam)

Isto é, e na minha lógica de ver o problema aqui em mãos, aquilo que não custa fazer (por exemplo, dizer que não a marmanjo que axa k baxtao tréz sms p consegir entrada livre p kueka), o que se consegue sem grande trabalho (por exemplo, virar costas a figurinha patética que coça tomates enquanto pergunta sobre possibilidade de tomada de café com ele e respectivo escroto massacrado por anos de maus tratos manuais auto-inflingidos), o que se torna claro (por exemplo, que espécimen tem QI equivalente ao tamanho do sapato) o que é simples e natural (por exemplo, aquela sensação de enjoo, aquele sabor a vómito que fica na boca quando há algum regurgitamento de comida meio digerida mas que não chega mesmo à boca, que fica ali na garganta numa espécie de limbo, de cada vez que tentativa falhada de Homem vai lambendo os lábios – e coçando os tomates - enquanto nos olha para as mamas e nos sussurra o quão belas somos e em como os nossos olhos o fazem lembrar as estrelas do céu e o sol a raiar no dia) e o que é provável (por exemplo, utilizar as palavras “vai” e “merda” na mesma frase) é que as Mulheres considerem fácil resistir e, por vezes, combater efusivamente tais investidas com base em teorias estudas e, quiçá, treinadas porque, em termos de pontaria para o alvo, acção equivale a mijar fora da sanita e estragar tais ditos sapatos equivalentes, em termos de tamanho, ao referido QI. É fácil. Não dá luta. Não cansa. Nem moer, mói.
Mas, obviamente, é precisamente nesta encruzilhada entre o “então, doeu muito quando caíste do céu?” e o famoso e eficaz “tens a braguilha aberta” dita só para chatear e dar tempo de fuga enquanto espécimen se atira às partes como se não houvesse amanhã, que as coisas, para elas, se tornam fáceis e que, para eles, elas se tornam difíceis.
Eles, vocês, portanto (mesmo que nem todos, vá), talvez preferissem que a restante definição da palavra fácil viesse à tona e se mostrasse sob a forma de Mulher branda e dócil, acessível, precipitada, pouco reflectida, complacente e deveras muito susceptível aos vossos tais avanços estudados e, quiçá, treinados. É claro que sim. Quem não gostaria que Mulher se atirasse ela própria à tal supostamente aberta braguilha só numa de garantir que mão não servirá, nessa noite, apenas para segurar copo?
Verdade seja dita: se as há difíceis, é porque os há fáceis.
E enquanto perdurarem certo tipo de teorias estudas e, quiçá, treinadas, as Mulheres (algumas, nem todas) vão continuar a ser difíceis (e monumentalmente orgulhosas disso) e, possivelmente, imunes a quem gostaria que fossem, pelo contrário, fáceis, seguras de que não estarão a perder nada a não ser breves trechos de tempo enquanto, com sorriso simpático e brilho nos olhos, vos (nem todos vocês, mas alguns) informam que o que procuram podem mais facilmente encontrar nas páginas centrais de um qualquer jornal diário (ou à beira da estrada) do que ali, com elas.
E isto, desculpem, é tão fácil de compreender que acho difícil ninguém o conseguir fazer.
Até lá, meus caros, ou não, agasalhem-se que está aí o inverno e este, figurado claro, é capaz de durar…

16 comentários:

O Tarado disse...

O que me faz alguma confusão é o tu pensares sequer que 5% que seja dos homens saiba o real significado do que acabaste de escrever. É que tu dirigindo-te a eles desta forma... ficas automaticamente conotada como difícil. Não por alguma barreira que tenhas criado com esta prosa mas porque pura e simplesmente há homens que ao sinal do mínimo desafio intelectual que seja necessário para tornar as coisas mais fáceis... emitem o carimbo "esta deve ter andado a queimar os sutiens à uns tempos atrás."

A expressão "os homens são uma caixinha de surpresas" e "as mulheres misturam tudo no mesmo saco" nunca fizeram mais sentido para mim do que quando vi esta pérola:

http://www.youtube.com/watch?v=NXh-A-_nYKs

Posto isto, vou aceder à minha caixa preferida enquanto faço zapping desenfreado.

Be disse...

Difícil é, para os tais homens, diferentes destes que aqui são descritos, os que não se coçam em público, resistir a mulheres interessantes e diferentes das donas de casa desesperadas... e é Fácil é, para os tais homens, diferentes destes que aqui são descritos, os que não se coçam em público, perceber que não existem assim muitas mulheres com M U L H E R Maiúsculos, que são totalmente independentes e que fazem do corpo delas o que querem, com quem querem, quando quiserem e que isso só a elas diz respeito.
E é tão Fácil dizer que "És Difícil" porque o que até está ali tão perto e é diferente, está ao mesmo tempo tão longe e é "intocável" e está protegido contra olhares com remelas, mãos que ainda cheiram à última mijadela, ou ainda tem um resto de... seja o que for debaixo da unha...

Pois é, pérolas assim, raras têm e merecem só ser tocadas com luvas de veludo... caso elas o desejem e permitam... claro.

Me disse...

Tarado,
A do "nothing box" explica muita coisa... Talvez seja daí, dessa caixinha em particular, que venham algumas das mais brilhantes ideias dos homens, especialmente no que toca a tentar tocar as mulheres.
Mas, como todos sabemos, o que do nada vem, nada é...
E no campo do "nada", vocês, vénia, batem-nos aos pontos!
:P

PS: Não me importo nada de ser rotulada de difícil. Aliás, o problema nem é as mulheres serem ou não difíceis... O problema está em vocês não saberem fazer delas "fáceis"... No bom sentido, claro.
:PPPPPP

Me disse...

Be,
Eh, pá... E o que é que se responde a isso?
:)

Sabes o que acho?
Acho que a culpa é das Mulheres.
Por algumas, no passado, terem sido irreflectidas e terem dito que sim demasiado rápido, os Homens depois pensam que as restantes são todas assim também.
Depois há o dia em que apanham uma que não está nem aí e o caso muda de figura. Como todos sabemos, Homem de Ego ferido torna-se fera cuspidora de veneno contra tudo aquilo que o feriu... E sim, nesses casos, é muito mais fácil dizer que a tal causadora de Ego Ferido é Difícil ou até Lésbica (claro... só pode, né? Para resistir tão bem aos seus avanços...) do que admitir que se é um falhado nesse campo...
A culpa é das Mulheres. Se se passasse mais tempo de pernoca fechada e de cérebro a trabalhar, talvez os Homens, nem todos, mas muitos, não fossem assim...

E pronto. Com esta, vou ser crucificada até aos ossos.

:D

O Tarado disse...

Bem mas agora falando de coisas sérias... não te faças difícil mas não sejas fácil. E principalmente, o mais importante de tudo... não queiras estar na "nothing box". É aborrecido e a gente tem uma politica de só deixar entrar lá dentro... nada. :)

Maria disse...

Há réguas ou instrumentos para medir o fácil e o difícil?

EGOISTE disse...

Eu continuo a achar que somos todos (H&M) muito iguais. O íntimo é bastante próximo.

O que difere é apenas a máscara.

Apesar de a Biologia explicar grande parte do que levantaste (e sabes que são raras as vezes que uso este argumento), a diferença é que uns andam a divertir-se, outros não.


;)

Me disse...

Tarado,
Mas lá está o raio do busílis da questão... Não são as Mulheres que se fazem de difíceis (tirando as que se fazem mesmo). São vocês!
Têm de mudar de estratégia...

E não. Não te preocupes que não quero mesmo nada estar na "nothing box"... Mesmo que, em certos casos, seja logo para essa que corra... ;)

Me disse...

Maria,
Há.
Sim - Fácil.
Não - Difícil.

Simples.

Me disse...

Egoiste,
Ui! Mas que terreno mais escorregadio foste escolher!
Mas vá, concedo-te esta e até entro no "jogo". I'll amuse you...
Biologia.
Continuidade da espécie.
Os Machos e as suas sementes e a propagação dos genes e o camandro.
Tudo muito bem.

Biologia.
Continuidade da espécie.
As fêmeas e a escolha criteriosa dos genes que propagam em conjunto com os dela. Aquela cena dos 9 meses de gravidez... de apenas sermos "engravidáveis" 12 vezes por ano (o que é pouco por comparação a outras espécies) e, mesmo assim, nem sempre e, mesmo mesmo assim, não durante muitos anos...

Vocês querem plantar as sementes em tudo o que mexe. Garantir a prol.
Nós ficamos quietas porque nem todas as oportunidades de fecundação nos são vantajosas.
Simples.
Biologia é fixe.

Agora, sem olhar pelo prisma do Neandertal, podemos colocar a questão de outra forma:
Machos querem despejá-los em algo que não seja a mão esquerda (ou direita), fazendo avanços e recuos de modo a convencer fêmea de que acontecimento seria o ponto alto da sua vida.
Fêmea, desconfiada que, de repente, se transformou em espécie de boneca insuflável (versão mais barata), recusa não apenas porque não quer apenas ser tratada como pedaço de carne fodível, mas também porque anos de punhetas são mau treino para a arte do amoooor.
Mas há mais teorias...
Oferta e procura...
Vocês oferecem tanto que nós até nos podemos dar ao luxo de escolher...
E há mais ainda (ainda que esta agora seja meio romântica).
O acto sexual inclui (não só, mas também), penetração. Os homens penetram (por norma) e as mulheres são penetradas (por mais que norma...). Vocês invadem; nós somos invadidas. Em termos mais meigos: vocês visitam; nós somos visitadas.
Até vocês saberem o que é deixar alguém entrar no vosso corpo, o que sentir aquele preenchimento inevitável, nunca farão a mais pálida ideia do que o sexo poderá querer dizer para as mulheres.
É, e enquanto exemplo estúpido, ires visitar alguém a casa dessa pessoa ou teres essa pessoa em tua casa. Há diferenças.

E é claro que depois há gajas e gajos que apenas querem é foder e que se estão pouco a cagar para estas merdas todas... Mas, até mesmo aí, é porque elas deixam, não apenas porque vocês querem (se não, conseguiriam foder todas quanto quisessem...).

E sim, uns divertem-se. Outros não.
Mas isso aplica-se a tudo.
A diferença está em uns se quererem divertir com os outros e os outros acharem que não estão lá apenas para divertir (para isso, pega-se em duas notinhas e vai-se comprar todo o divertimento que se queira...).

O mundinho de quem anda a ver se fode e de quem anda a ver se não é fodido é engraçado. Triste e meio deprimente devido ao que muita gente está preparada para fazer a favor do tal divertimento, mas engraçado.

O Tarado disse...

Pá... keep it simple. Gajos querem foder. Os gajos normalmente são conquista fácil. Vss chegam ao pé de nós, ou nós ao pé de vss. Nós iludimo-nos que temos capacidade para vos dar a volta, vss deixam se o instinto vos manda enrolar o cabelo... e temos festa.

Quando não estão para aí viradas... vss viram-se de lado para nós, e como somos tótós nem percebemos o que isso quer dizer. Depois dão trela só para ver o quão desesperados estamos e divertem-se com isso.

Nos entusiasmados até pensamos que estamos a conseguir alguma coisa até que gaja arreganha-nos a dentição e nos diz qq coisa como "desculpa mas vou ver que novela está a dar na TVI. Sozinha."

Insta-murchu.

Obviamente que a mulher sempre teve um papel mais do que decisivo em todo este jogo do quero, não quero, sedução e afins. Há homens que ainda sonham que eles podem alguma coisa sem que ela queira... nem que seja pela insistência... na realidade raríssimos são os casos em que se consegue alguma coisa quando elas logo desde inicio não tem que sejam um pequeníssimo interesse.

Se não existir uma restea de possibilidade de algo acontecer, é que nem nos dão qq tipo de hipótese.

Eu à muitos anos passei a ser o mais realista que se pode ser nesta coisas. Acreditem que aquela máxima de que a primeira impressão é a mais importante, é mesmo verdade. As mulheres, e os homens, mesmo que inconscientemente estão a avaliar a pessoa assim que a vêm e mesmo antes sequer de alguém abrir a boca. Normalmente o homem não presta tanta atenção a promenores como as mulheres. Nós olhamos para uma mulher e ela ou tem mamas, ou cu, ou olhos, ou um conjunto fabulosos. Obviamente que se tiver roupa a realçar estas coisas todas ainda mais interesse desperta. A mulher é bem mais selectiva. Analisa tudo, muito mais rapidamente. Desde aspecto, postura, forma como as abordamos, como interagimos com as pessoas a nossa volta... em parte talvez devido ao tal instinto biológico de seleccionar o macho dominante, e que tenha aparentemente os genes melhores. Tudo isto joga a nosso favor os homens.

A não ser claro que sejamos uns toinos, que não saibamos cuidar da nossa imagem, que não tenhamos o mínimo de cuidado na forma como nos apresentamos, e caso as nossas skills de socialização sejam basicamente conversas online.

Eu não sou um galã nem sou particularmente bonito. Tenho essa consciência. No entanto faço por ter uma imagem cuidada e não me importo nada de dizer que sou dos que perde 40m-1h em casa antes de sair para o trabalho a tratar dessa mesma imagem. E até quando saio com amigos cuido dessa imagem. E o que posso dizer por experiência é de que até um cota como eu, pouco galã, pode fazer sucesso com miudas de 20-25 anos mesmo quando a volta delas estão 30 pitos aos saltos desenfreados a tentar exibir a sua roupa cheia de logotipos e os seus pentados com 2 garrafas de gel.

Ah... também é preciso ter-se confiança em nós próprios... e saber que são elas que mandam. Confusos? Então leitinho e cama que se faz tarde. Amanhã há mais.

Me disse...

Tarado,
O que eu gosto de pessoal lúcido.
Lúcido e capaz de admitir certas verdades daquelas meio irrefutáveis.
Parabéns pelo comentário e pelo pensamento.
:)

Vitor disse...

Textinho que merecerá brevemente uma respostazinha à altura no sítio do costume.
Pensas que podes dizer estas coisas e ficar a rir... poder até podes mas sem dentes!

Samuel Alabastro disse...

Mulheres difíceis, ou homens preguiçosos?
Às vezes dá muito trabalho...

:)

Abracinho, oh Lutadora!
;)

Me disse...

Oh, Vitáro,
Tem lá calma contigo.
Eu já passei a fase do rir-me destas coisas... Hoje em dia, largo-me logo em lágrimas e pronto. Funciona melhor em termos de afastamento dos predadores.

Quanto ao sítio do costume... Bet your ass!!!!

Me disse...

Samuel,
Mulheres difíceis E homens preguiçosos... Mas tudo depende do objectivo da coisa. Há uns que, penso, até são compensados pela preguiça... Gajas, pá. Gajas!

Abração, oh Warrior!