11.1.10

Gritar a Campo

imagem: google
“A Campo” é uma expressão daqui das minhas bandas e utiliza-se para designar qualquer coisa que se faz no campo. Aqui, os campos são muitos e extensos e há muito que se pode fazer a campo. “Estou a campo” quer dizer que se está no campo. Somos gente simples. Feita a devida introdução, este fim-de-semana eu e amiga minha decidimos que iríamos Gritar a Campo. Iríamos pegar em nós e numa garrafita de vinhaça e iríamos para o campo gritar. Gritar o quê? O que fosse. Iríamos fazer um duelo com o Universo tendo as estrelas como testemunhas e a lua como árbitro. Seria uma sessão de vazar de tudo quanto já não nos cabe na cabeça, no peito, no coração. Iríamos, diante do Universo, cobrar promessas por cumprir e agradecer tudo quanto assim houvesse para agradecer. Iríamos chorar a alma em tom de gritos mais ou menos sonoros atirados para a vastidão do céu e da natureza porque há coisas enterradas tão dentro de nós, tão lá no fundo que só com a energia necessária para produzir um grito se conseguem soltar. E fomos. Eu sabia do lugar ideal. Mas não estava acessível. Fomos para outro. Abrimos a garrafa, dividimos o seu conteúdo, colocamos um fadinho para dar ambiente e… falámos. Conversamos, na rua, a campo, sob as estrelas, de forma aberta e livre. Colocamos perguntas… admitimos as respostas. Os dois graus que se faziam sentir àquela hora da noite não incomodaram (até sentirmos que nada mais havia a falar). Podíamos ter feito aquilo à mesa de um café visto o objectivo de gritar ter sido deixado um pouco para trás (afinal… não houve essa necessidade… engraçado), mas aquilo assim teve outro valor. Para mim teve. Vi estrelas cadentes e a cada uma atribuí um nome. Uma pessoa. Um agradecimento, uma esperança, um pensamento. Sentia o frio a invadir-me o corpo e isso só fazia com que me sentisse mais viva. Empoleirada em cima de uma vedação de troncos, com o pouco vento que se fazia sentir a bater-me nas costas, senti-me levada para diante, para a frente… Admiti fraquezas, sonhos, desejos. Despojei-me de uma data de dados absolutamente inúteis e conversei com aquela outra alminha até percebermos que há coisas nas quais não podemos intervir e que há outras que complicamos e assustamos até se tornarem problemas. Até percebermos que, apesar de tudo, tínhamos tanto, mas tanto de bom à nossa volta que o resto quase que parecia irrelevante. Na hora da ida, não me senti nem mais leve nem mais liberta. Senti-me apenas eu. E isso eu já não sentia há algum tempo. Dentro do carro, no quente, aí sim gritámos. Largamos uns bons berros sem palavras, finalizando a coisa assim dessa forma enquanto atravessávamos o campo para nos irmos embora. É algo a repetir. É algo que agora, neste contexto, faz sentido para mim fazer. Há alturas e momentos em que não há palavras que cheguem para descrever o que se passa connosco, que não há abraços suficientes no mundo para nos reconfortarem, que não há ouvidos atentos o suficiente para nos ouvirem. Batalhar a coisa sob o Universo, numa noite gelada, vendo as estrelas, ouvindo os sons do campo e, acima de tudo, permitindo que sejamos ouvidos, é algo de muito reconfortante. E agora gente, o âmago da questão (e correndo o risco de transformar isto num confessionário… azar o vosso o blog é meu, faço o que quiser). Eu consegui admitir, com todas aquelas testemunhas, que eu Acredito. Que eu tenho Fé. Eu Acredito e tenho Fé num equilíbrio natural das coisas, no universo que absorve tudo de bom e de mau que fazemos e que depois nos atira com tudo para cima novamente para resolver o que ficou mal resolvido ou por resolver dentro de nós. Que nos dá os parabéns e premeia quando nos portamos bem, que nos faz viver e reviver as coisas até acertarmos. Não são castigos… são segundas oportunidades. Admiti que os caminhos que fazemos por vezes se encontram cheios de sinais que nos vão indicando irmos bem ou mal, cheios de cruzamentos em que somos forçados a tomar decisões, cheios de paragens para darmos boleia a alguém e cheios de bifurcações onde os outros se podem juntar ao nosso caminho e nós aos dos outros, transformando o mapa final numa enorme salganhada difícil de perceber, mas fácil de sentir. Admiti isto tudo para mim mesma, finalmente largando o medo que tinha em o fazer, em admitir que vejo e sempre vi algo mais além ou dentro de mim (e não, não entro em coisas religiosas ou esotéricas ou afins… ainda que entenda que isto possa parecer assim). Posso não ter dito tudo em palavras, mas senti-as. Penso que terá sido um bom passo no caminho de uma pequena mas importante paz em mim. Admitirmos certas coisas, aquelas que sentimos no estômago antes de se transformarem em pensamento, é difícil. Custa. Não é assim sem mais nem menos. Mas é preciso. E pode ser tão bom. Para mim, estas coisas não têm nada a ver com crescer, com ganhar maior maturidade, com aprendizagens, por assim dizer. Não. O que vejo nisto tudo é uma espécie de formalização do que se cresceu. É um olhar em volta e ver o que há para ver. Uma espécie de contabilidade em que se faz um balanço dos activos e inactivos, dos tangíveis e não tangíveis e em que se aceita que há coisas que vamos ter de reparar, outras que estão bem e outras ainda que já não fazem falta, tendo-se tornado obsoletas. Gritar a Campo. Acho que ainda sinto o frio a passar-me pelo casaco e as luvas, a fazer-me tremer enquanto me equilibrava em cima daqueles troncos. Do que não me vou esquecer é do som da minha voz a transformar em palavras aquilo que a minha alma, aquilo que é mais profundo em mim, sente e sentiu. Admitir o que ela ainda quer vir a sentir. Foi preciso colocar-me fisicamente num sítio desprotegido para me saber protegida. Por mim e por todos aqueles a quem dediquei uma estrela cadente enquanto voavam pelo céu. Deviam experimentar. Vão ver que depois não querem mais nada. Eu levo o vinho e os fados. Venham a Campo Gritar. Não há melhor sítio para o fazer. (E porque há coisas que nos ficam na cabeça e no coração, fiquem com a letra de um dos fados que ouvimos e que eu tenho ouvido repetidamente desde então. Não lhe sei o nome (Trovador da Saudade???), apenas que é Camané quem o canta e que o mesmo surge no meio de um cd de outra artista, sem mais nem menos… sem aviso prévio, quase como uma das muitas estrelas que vi a voar. E sobre o mesmo também não preciso saber mais nada. Isto basta). O Trovador dos Sonhos acordou Pegou numa guitarra e quis cantar. Fechou os olhos tristes e voou Num sonho de papel e de luar. A voz tinha uma raiva, uma ternura O olhar, o mar imenso e a fantasia. Em cada lucidez, uma loucura E em cada verso triste, uma alegria. O Trovador da Saudade Do presente e do passado Canta os versos da verdade Que descobrem cada fado. Tem no colo uma guitarra E no peito um coração Que se agarra e se desgarra Ao sabor desta canção. Sentado num degrau desta cidade Com todas as tristezas no olhar O Trovador rimava uma Saudade Com versos de papel e de luar E enquanto a sua voz era Esperança O seu olhar raiava a luz do dia Como se fosse a voz de uma criança Que ao cantar inventa uma alegria. O Trovador da Saudade Do presente e do passado Canta os versos da verdade Que descobrem cada fado. Tem no colo uma guitarra E no peito um coração Que se agarra e se desgarra Ao sabor desta canção. O Trovador da Saudade Do presente e do passado Canta os versos da verdade Que descobrem cada fado. Tem no colo uma guitarra E no peito um coração Que se agarra e se desgarra Ao sabor desta canção.
.
Obrigada a todos por me lerem.

68 comentários:

O Inconformado disse...

Gritar é bom. Gritar no meio do nada ainda melhor. Por vezes precisamos de nos isolar de tudo e de todos para podermos olhar para os nossos problemas e coloca-los em perspectiva. Quando estamos demasiado "enfiados" no meio do barulho é difícil de conseguir ver "the big picture". O frio, o vinho, o fado são bons catalisadores, pois acima de tudo, somos seres sensoriais. Estímulos externos correctamente aplicados podem de certa forma ajudar a arrumar os nossos problemas internos. Recomendação que deixo: não pares de gritar ;)

PKB disse...

Fizeste-me lembrar uma tirada do Forrest Gump "Sometimes there just aren't enough rocks..."

Beijinhos!

Lizard King disse...

O ACREDITAR vai para além do religioso e do esotérico. É uma fé muito própria, para mim, uma energia bi-direccional que se tem com o Universo. ACREDITAR, é algo que sempre me foi presente, tal como os gritos de libertação, a que sempre chamei a minha terapia do grito e ainda te digo mais: um grande bem haja aos kits mãos livres porque me tornaram menos esquesitóide por estar em solilóquio terapeutico na voiture...ehehehhehe...e gritar a campo é do melhor que há, é um entendimento perfeito com o Eu e o Universo, porque perante tamanha imensidão tem-se a noção da pequenez e insignificância dos Egos...

...beijos.

Me disse...

E serias mais que bem recebida.
Entendo perfeitamente o que dizes. Entendo.

Beijos (dos bons) para ti. Beijos.

Me disse...

Hajam bons catalizadores...
Eu nunca parei de gritar... deste vez mudei foi o cenário

Muito mais eficaz.
:)

Me disse...

Sometimes there aren't...

Beijos, Passaroca

Me disse...

Eu era mais ter problemas em o admitir... em me permitir sentir isso.
Na voiture... auricular funciona muito melhor ;)

Beijos para ti e obrigada pelo comentário (vá lá não teres deixado um "told you so...")
;)

Lizard King disse...

Não podia ter deixado um "I told you so..."...porque também sou a pessoa que ACREDITA que tudo tem o seu timming ;)

ps: o kit mãos livres era apenas para dizer que agora quando grito no carro e falo sozinha, ninguém pensa isso: que falo sozinha :/ mas sim que sou moderna e vou de kit mãos livres :P

Me disse...

Ahhh! Mas eu coloco mesmo o auricular... dá outro aspecto (viva a vergonha!)... ou isso ou a música em altos berros até me deixar de ouvir, mesmo gitando muito. Aí sim... isso liberta.

E eu sei que não podias deixar um "told you so". Sei que não o farias. Mas... terias uma espécie de direito em o fazer... Tu percebes.

Tudo tem de facto o seu timing. É verdade. Mas às vezes é dificil acreditar nisso. Às vezes é muito difiicl acreditar e ter fé nos timings, especialmente se sentimos que já nos fugiram da mão. Custa depositar um pouco (ou muito) de nós em algo que, na realidade, não existe de forma palpável.
E acho que foi disso que perdi o medo de admitir, que há crenças em mim que ultrapassam o visivel, o dito, que são mais que esperança: são creres e queres. Sei perfeitamente que é escusado explicar-te isto. Sei perfeitamente que entendes.

Viva os kits de mãos livres e os sistemas de som que nos engolem.
:)

Desinformador disse...

Eu aceito o desafio sem qualquer problema, o único senão é que prefiro que seja numa noite de verão!

Sempre fiz algo assim do género, ir para local isolado, ouvir musica, falar e beber até nos fartarmos... sem cair para o lado... mas quem quiser pode cair para onde quiser...

isto no verão é suficiente para estarmos até amanhecer e em seguida ir pequeno almoçar ao café mais próximo... no máximo com 3 ou 4 pessoas para as conversas não divagarem muito... aliás a minha última sessão do género foi numa praia na Arrábida há uns bons 4 anos... como o tempo passa.... snif...

Me disse...

Amador...
:)

Desinformador disse...

ahahahah...

queres tentar aqui pelas bandas de Madrid? pelas noites temos -10º com tendência para baixarem mais, e chegar a sítios isolados... bom... nem tentes com o brutus ou ficas com neve até ao tejadilho...

amador sou por alguma razão :P

Tb fazia isso na Serra da Estrela... no inverno e ainda tomavamos banho na lagoa comprida... fosse Dezembro ou Agosto... mas isso era quando tinha 18 anos!!! Agora só de pensar fico com borbotos em todo o corpo!!! :P

O Tarado disse...

Ummm... estou a ver que começas-te a semana "bem".

Para não vires aqui ao vicio a não ser à noite só pode ter acontecido uma de duas ou quatro coisas:

- deste uma desculpa esfarrapada ao patrão e tiraste o dia de férias
- o teu patrão deu-te uma pissada e ficaste atulhada de trabalho
- ficaste sem net no trabalho
- tiveste uma recaída e foste ao tal médico outra vez
- nenhuma das de cima mas de certo algo mesmo muito importante

:)

Fisherman disse...

olá "Me"

Mais importante do que gritar, é saber que te fez bem esta sessão ao ar livre não sendo menos importante, saberes que estas protegida e que acima de tudo existe sempre um caminho a seguir,

Uma boa semana parati..bjs

Me disse...

Hahehaheha!! :)

Justíssimo! Já cá não está quem falou!!
:)

Me disse...

Tarado,
De facto, algo de mesmo muito importante se passou.

Brutus foi internado. E eu passei o dia a resolver tudo sozinha.
Primeiro eu e o reboque. Depois eu e a oficina, eu e o director geral da oficina e o mecânico-mor da oficina e o recepcionaista da oficina. Depois eu e a marca e serviço a clientes. Depois a marca e a oficina. Depois a marca e a empresa de alguer de carro de substituição. Depois eu e a empresa de aluguer. Depois eu e a marca. A marca e eu. E, no meio disto tudo, estive um dia INTEIRO para resolver aquilo que, pelos vistos, ninguém sabia como resolver (ninguem se entendia... e eu, bem, eu muito menos).
Pus toda a gente a brigar com toda a gente e, basicamente, esperei.
Mas desta vez não fiquei a pé. Agora ando de Peugeot 308 1.6 a gasóleo. Até 5ª, vou andar assim. E pronto.

É assim a vidinha.
E foi por isso que não vim aqui ontém durante o dia.

Me disse...

Igualmente, Fisherman.
Igualmente.

Cantador de Desgarradas disse...

:)

Me disse...

Desgarrado...
Que sorriso deslambido é esse?

PKB disse...

Beijinhos, Madrinha!

... disse...

Gritar e mandar fora tudo o que já não nos pertence.

K disse...

Não me digas isso muitas vezes que eu ainda me atiro para os teus braços! (salvo seja!)

Beijos ainda melhores para ti meu doce de café e chocolate e mais qualquer coisa que agora não me recordo

Me disse...

:)

Salvo seja... pois 'tá bem...

:)

Me disse...

E também gritar e guardar bem perto, com maior certeza, o que queremos que nos pertença ou que já nos pertence...

Sejamos justos.

O Tarado disse...

Pronto. Agora os gay já se podem casar as gajas saem da toca e é beijos e marmelada de meia noite. E fotografias não? :)

O Tarado disse...

Ah. Ok. Um dia normal para quem tem um carro de uma marca ranhosa como tu tens concerteza :)

O Tarado disse...

E viver a vida porra! Viver a vida!

Que merda de ambiente é este? O que é importante é Viver. Tudo o resto cai no sitio. E não perder a perspectiva do que é importante. E ser humilde. E ser corajoso. E ser bom. E ser mau. E ser tudo o que é preciso ser.

Ser tudo. Menos hipócrita. E não vale desperdiçar a vida com coisas maiores ou menores. Só a ideia de desperdiçar já é sinal de incompetência. De saber viver a vida claro.

Me disse...

Don't be silly. Eu e a K já fazemos isto e somos isto há bué.
Oldtimers...

Fotos??? Hmmm... Há aquela que... Mas não. É melhor não. Não tinha a depilação feita e a coisa vê-se mal.

:P

Me disse...

Tu andaste a beber???
Pareces um anúncio para uma qualquer cerveja brasileira.
Vivá vida, cára!!!

Oh valha-me caredo.

O Tarado disse...

Pois assim não vale a pena. Embora diga-te que se precisares de alguém para dar umas photoshopadas nelas... oh eu aqui!

Me disse...

Olha outro!
O que não falta para aí são gajos a afirmar que percebem de photoshop e tal... yeah, yeah, yeah!

O Tarado disse...

E não?

Nos meus tempos de nubito tudo me parecia dramático e à flor da pele. Muito sentido e pouco desfrutado. Se há coisa que a vida nos ensina é de que o tempo que perdemos com a perca de tempo que os outros nos fazem ter, é tempo que se foi.

A vida é para se viver e mais nada.

Senão as nossas vidas misturam-se e por causa de uma vida mal vivida, criamos problemas na vida onde podemos viver bem.

Me disse...

:P

Me disse...

Agora parecias aqueles anuncios para sessões de espiritualismo e contacto com deus no estádio do belenenses.

O Tarado disse...

Eu não percebo nada de PS. Queria era as fotos. Porra que estás lerda hoje. :)

O Tarado disse...

Tu percebes-me. :)

Me disse...

DUHHH!! Eu percebi isso... Daí eu estar a dizer "olha outro que diz perceber muito do PS"... apenas para sacar fotos ao pessoal...

Deves pensar que nasci aí há umas 12 horas, não?

PFFFF!!!

Me disse...

É um dom que tenho... perceber certas coisas. Em compensação, depois fico às escuras noutras. Enfim. Não se pode ter tudo, né?
Mas eu gostava. Ai se gostava de ter tudo... tudinho mesmo. Mas prontes.

Amí-Amá-Amú, Salvê, salvê. Ou isso.

Don't fuck my TOLA disse...

Hehehehehe! Grrriiiittaaaaaarrrrrrrrrrrrrrr...a campo, maravilha!
E uma maravilha e dois graus! O que é isso quando a companhia, o fado, o vinho e a converseta aquecem ate a alma.
Oh pa viva os grilos que aguentaram os gritos hihihihi.
Deitar tudo ca pra fora aos arrumadinhos, organizadinhos e estupidos (pessoas no geral) que acham que o mundo só e fixe se forem o centro das atenções e se andarem a complicar a vidinha dos outros que só querem andar aqui peace and love.
Oh pa ponham-se na linha que já é tempo, e a malta precisa é de calor humano com este frio que tem feito e não de pedras geladas nos corações.
Vá...tudo a gritar...a campo...a post...a mail...ou até a café se preciso for, desde que gritem (falem), convivam e não se afastem.
Vá ver, na custa nada e faz sentir tão bem uma boa conversinha, um bom entendimento e uma boa partilha de uma garrafa de vinho.
Por falar nisso, Me, tenho umas garrafinhas que me ofereceram e que tem de ser abertas, saboreadas e claro que todas bebidas hehehehe!

Me disse...

Don't fuck my Tola,
Podes não acreditar, mas há sempre uma espéie de magia naquilo que escreves e deixas transparecer. Podes ter a sensbilidade de um bulldozer ao trabalhar o teclado, mas porra, mulher, só me consegues fazer sorrir.
Temos de pegar nessas tuas garrafas para ver se conseguimos derreter os corações de pedra gelada (como se não bastásse serem de pedra, não... ainda são pedras geladas!) dos organizadinhos. Calor humano precisa-se e lá há melhor sítio para o fazer do que sob as estrelas e com dois graus de temperatura?

Está visto que tenho de alugar um mini-bus...
:)

Minha Pequena Traineira da caixa dos comentários, um enorme beijo para ti.

Don't fuck my TOLA disse...

Bulldozer, porque esta merda deste teclado na vale um car... e tenho de fazer bue força nas teclas pa escrever e depois atras dessa brutalidade a escrever saiem merdas duras que a ti so da vontade de rir, mas a mim tambem na julgues. Eu parto a moca toda com estes comentarios de merda que aqui sao deixados e se sao de merda entao temos de rir com eles ne!?
E aquelas garrafas de vinho tao mesmo a pedi-las ai se tao! Filhas da Uva que as vamos mamar todas hihihihihihi!!!
Porque me chamaste Traineira!? Na percebi lol! E nao estou bebeda!! lol

bejufas n.c.d.b.

Me disse...

Porque levas tudo à frente! Porque tens uma força incrível que empurra e puxa e leva e trás e tudo e tudo e tudo!
Bulldozer e Traineira no bom sentido, no melhor dos sentidos
:)

Cantador de Desgarradas disse...

Só a modéstia me impede de dizer que este é o sorriso mailindo de todo o OMQ...

Me disse...

Pois, pois... modéstia, huh?

Sorriso mai'lindo de todo o OMQ??
É porque ainda não mostrei aqui o meu!
:D

Don't fuck my TOLA disse...

Sim eu percebi que era no bom sentido Me, e eu levo tudo a frente mas todos podem ser assim é uma questao de vontade. E como eu tenho muita vontade de que tudo seja bom e corra bem entao vou buscar força nem que seja ao olho do c... ou ás garrafas de vinhl hihihihi sao mesmo umas filhas da uva.
Vou-te contar um segredo! Que vai deixar de ser segredo porque toda a gente pode ler esta merda, a força nao vem só do nosso interior, existem coisas exteriores , tal como a amizade, e à qual eu dou muito valor, que nos dá toda a força do mundo para viver e lutar por tudo o que queremos. Então se tivermos uns amigos a sério (podem ser muito poucos) temos tudo! O amor (nem que seja de amigo) move montanhas e ajuda-nos a perceber muitas vezes que o facto de alguém gostar de nós e nos ouvir já é razao suficiente para sermos os mais fortes e levarmos tudo á frente. "Atenção" é aquilo que mais precisamos. E se a tivermos então somos os maiores e nada nem ninguém nos derruba. Quer dizer ás vezes o vinho em excesso deixa-me de rastos hihihihihihi, mas nada que no dia a seguir não passe.
E como pessoa louca que sou aconselho vivamente a que todos vivam a vida com loucura (saudavel) sem medos, nem frustrações ou limitações.
Este tempo em que aqui andamos é muito curto para ser desperdiçado por isso ha que aproveita-lo com toda a força do mundo.
E tenho dito minha linda, por isso cornos cá pra cima que isto é bom demais pa se desperdiçar...olha ca merda!!!

Me disse...

OLÉ???

OLÉ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

E quem fala assim é porque ainda não bebeu vinho suficiente!! Temos de tratar disso!
;)

Eu entendo perfeitamente tudo quanto dizes. Mais que entendo. E acho que estás mais que coberta de razão.

Mas que tu e o Tarado agora parecem anuncios para os encontros espirituais no Belenenses, lá isso parecem...
;)

Bates mesmo mal, oh, pá.
:)

BEIJOS N.C.D.B.!!!!! (HAHAHAHAHEHEHEHAH!!!!!)

Cantador de Desgarradas disse...

Mostre lá, vá...

Me disse...

Talvez um dia, quem sabe? Talvez...
:)

Me disse...

(e sim, a amizade e o amor que se pode sentir por uma data de pessoas ao mesmo tempo é precioso. é de fazer ficar com os olhos cheios de lágrimas quando estamos todos à mesma mesa, em amena cavaqueira, falando e dançando com as palavras. a atenção de que falas... inclui também a compreensão e aquela aceitação sem igual que apenas quem nos abre os braços sem segundas intenções pode ter. O resto pode ser bom, e é, mas saber de uns braços que nunca se fecharão... isso... isso é mais que tudo. Beijo-te)

Don't fuck my TOLA disse...

Olha que bonito, agora eu e o Tarado parecemos anuncios para os encontros espirituais no Belenenses lol, sera pela arte que temos em comum!!??
Quem sabe!Hihihihihihihihi!
E bato mal pois bato e com muito gosto mas olha que tu na te ficas atras hihihihihi e vamos mas e buer a vinhaça que ta so a perder tempo dentro da garrafa e pode-se estragar e eu prefiro mil vezes que faça mal do se estragar!
Pois e pois e viva a amizade e os braços abertos sem cobrança e sem cobriçao lol porque esses sim e que sao verdadeiros, ao contrario dos outros que nos apoiam mas no fundo e no seu inconsciente tao a pensar "fogo a ver se te calas que eu ja te saltava pra cima e ficavas logo bem" Hihihihihi sim porque a maioria das pessoas acha que e a f... que se resolve as merdas, mas nao meus queridos. Muito carinho e atenção é a receita ideal para a compreensão.

E agora na digo mais nada senao ainda pensas que eu so vivo de amigos e de amigos ah e de amigos looooooooooooooool!

Vou mas e po Belenenses oh pa! La é que é! Lá é que ha encontros a maneira né oh Tarado? hihihihih

Isto e mais que a conta este blog da merda tudo se pode dizer aqui, maravilha, viva a liberdade de expressão ah e aos amigos hehahehahe!!!

beijei-te...

O Tarado disse...

Essa merda de me andarem para aí a comparar com outras pessoas tem de acabar.

Será que tenho de descer ainda mais o nível? É?

Bem... vamos lá a ver.

Don't fuck my TOLA disse...

Oh Tarado na fiques assim!
Nem desças mais o nível que aqui nem sequer nível há hehahehaheha!
E deixa la que se podemos comer hamburguers as 4 da manhã também na vai ser uma comparaçaozita barata que nos vai afectar.
Fases dificeis da vida das pessoas e depois dá nisto, diz-se estas merdas e pronto lol! A Me sabe o que diz deixa a falar hihihihi!
Na te exaltes rapaz na te exaltes...te calma contigo heheheheheh!

Me disse...

Vocês parecem um vendaval, uma tempestade que vai deixando tudo de pernas para o ar mas, estranhamente, contente.

Ou eu estou a ficar doida, ou então vocês, e essas vossas babuseiras, sabem-me tão bem quanto... ahhh... quanto... camarões de espinho e panachés. pronto.

:D

O Tarado disse...

Don't fuck my TOLA, comer hamburguers as 4 da manhá é de pita. Cotas como penso que todos somos por aqui (a partir dos 18 anos somos todos cotas ok? percebido? certo!) vai logo de pão com chouriço e caldo verde.

Tudo o resto... é imperdoável. Espero bem que estejamos entendidos neste aspecto. Isto antes que eu perca já aqui o respeito. Como se eu me desse a te-lo :)

Não tou exaltado mulher. O que eu queria mesmo saber é ... se não te posso ir à tola... onde é que posso ir? Eu sei que não me convidaste, mas já diz o velho ditado... "o sonho comanda a vida... " :)

Eu sou dos que gosta de uma gaja com personalidade. Como a Me não quer nada comigo (sou bom demais para ela... ela gosta mais de gaijos tótós como já deves ter percebido) agora vou-te assediar a ti. Pode ser? :)

Me disse...

Atão... mas seu eu gosto de gajos totós então porque não haveria de gostar de ti??? Hmmm?

:P

Portem-se bem. Mau. Quer dizer, bem, bem!!!

O Tarado disse...

Com esta é que me lixaste. Fiquem sem argumentos. Pronto. Quando se admite assim abertamente uma possibilidade destas, com um elogio insultuoso tão fixe como este, só há um remédio. Aproveitar o momento.
:)

Don't fuck my TOLA disse...

Epa mas onde tenho andado eu que tenho estado a perder esta conversa de merda!?
Nao esperava tal coisa de ti Tarado, sinceramente, esperava algo mais tarado, porque essa do "Se não te posso ir á Tola, então onde posso ir?" parece coisa de adolescente com 18 anos que come mesmo hamburgueres as 4 da manhã. Oh meu amigo atão mas um cota como sua excelência e que come pão com chouriço e caldo verde ainda não sabe onde pode ir!? Por favor vamos ser crescidos e chamar as coisas pelos nomes né claro!? Olha que tal uma cena á cota do género, "posso-te ir á personalidade?" Hahehahehahehahehahe! Já que gostas de gajas com personalidade, que tal começar a f... o que se tem mais forte hihihihihihi! Só não garanto que consigas, mas lanço-te o desafio, olha que eu não sou normal (Sou hermafrodita lol) e como tal não respondo por mim. E se sair daqui alguma merda é com todo o respeito por este blog maravilhoso, indicado para loucos hahahahahahahaha.
Por isso tás a vontade, podes-me assediar á vontade que eu tenho 2m de largura de costas e aguento-me ás broncas. Venha daí esse assédio, mas cuidado com a personalidade!

Me disse...

Aproveita lá isso como deve ser então... e tira fotos para não te esqueceres...
Duvido que tenhas ficado sem argumentos, mas essa tua admissão de condição de Totó deixa-me embevecida... O Taradinho está a crescer!
:P

Don't fuck my TOLA disse...

Ah é verdade Me se somos cotas porque haveriamos de portar bem!? Isso é pos adolescentes! Nós temos mesmo é que avacalhar esta merda toda porque somos crescidos e temos que saber e ter responsabilidade no que fazemos.
E tenho dito, porque se sou cota atão tenho desculpa po que digo e além de que sou uma cota louca, pior ainda hihihihihihih.
Ah pois é tamem gosto muito de camaroes de Espinho e de uma belas jolas. Não desfazendo da vinhaça da boa que me define como uma bebeda refinada. sim porque vinho do pacote é pos adolescentes eu do pacote gosto e de outra coisa hahehahehahehaeh.
bejufas n.c.d.b.

Me disse...

Pronto.
Eu, enquanto feliz proprietária deste singelo espaço tão carinhosamente descrito, apenas posso dizer Eh, pá... estejam à vontade... Façam de conta que não há por aqui mais ninguém. Mi casa és su casa e tudo isso.

(ainda estou a remoer a do "posso-te ir à personalidade")

Este espaço tem tido uma manifesta falta de assédios... admito-o. Cá para mim tenho um blog frígido... (tenho de lhe ir à personalidade).
Estou a gostar de ver esse vosso espírito de iniciativa para com as coisas importantes da vida.

E agora vou-me calar antes que diga asneiras maiores que as vossas.
:)

(fantástica esta merda. fantástica!)

Me disse...

Não vou comentar.
Não vou.
Não vou.
Não vou.

Don't fuck my TOLA disse...

Atao na vais comentar porque Me?
Se não há nem nunca houve condições What's the problem?
Heheheheh
Vá mulher lança-te aos Leões e dá cabo desta merda toda lol

Me disse...

Não posso... pudor... pudor.
E de qualquer das formas, temos de aguardar a chegada do Tarado para completar este belo ramalhete.

Até lá... estou em stand-by...
:)

O Tarado disse...

Fonix. Eu a crescer? Só se for para a frente. E para os lados. :)

O Tarado disse...

Não digas isso muitas vezes Me. É que isso rapidamente descamba em abuso :) Mas como 2010 está a ser um ano de novo juízo e nova vida, eu prometo que me porto bem. O que no meu caso significa ser inconveniente, tótó, e outras coisas mais. Ah e claro, tarado. :)

O Tarado disse...

dfmt... eu quando perguntei onde é que afinal eu podia ir se não fosse à tola, era no fundo uma forma simpática de te dizer que ía a qq lado. Eu sou daqueles tarados que gosta da taradice dos outros também. E olha que não sou nada esquisito. A não ser em relação a algumas pesquisas que fazem para vir ter aqui ao tasco da Me. Por isso partilha as taradices que gostavas que um tarado taradasse e pronto. Vá. Eu sei que tens um belo par de ovários e que o consegues fazer :D

Mas e indo um pouco mais a frente, diz lá que tu não gostaste do teu tempo de adolescente? É muito bom. Pelo menos o meu foi. Descobri como é que se apalpa um glúteo, como se massagem umas glândulas mamárias, como é que se escreve, e onde, o abecedário com a língua, etc. E com vários tamanhos de letra.

Se me perguntares quais as minhas preferências digo-te desde já que são as que quem está comigo prefere. Estou nessa fase. No dar para receber. É o melhor que pode haver. Sou tarado mas com jeitinho. :) E juizinho tb. Algum. Não muito. Ok... pouco. Mas melhor que nada porra!

Por isso Tola... podemos até fazer uma bela história com isto. Posso por exemplo ir-te às unhas dos pés, ou aos pelos do buço. Posso até ir-te ao humbigo e dar uma volta pelo joanete. É a escolha.

E já agora para quem se queixa que tem de ficar a minha espera, durante o dia podem-me encontrar no y20122102 arroba gmail.com . Psssttt.. este email fica apenas e só aqui entre nós tá bem ? :D

Eu não venho ao blog durante o dia porque gosto de dar o exemplo do que peço as pessoas que trabalham comigo. Durante o dia minimizar visitas a sites que nao tenham a haver com o trabalho. O boss chateia-se com isso, e eu acho que ele tem a sua razão. :)

O Tarado disse...

Stand by mode off. Please fuck my Tola :)

O Tarado disse...

Eu às vezes penso que este Blog é todo ele só gaijos e que eu sou o único lésbico. Dass!